acústica de salas

Acústica de salas e teatros – o Palácio da Música Catalã

O Palácio da Música Catalã, em Barcelona (Espanha), é um magnífico patrimônio cultural tombado pela UNESCO.

Ele foi construído por Lluís Domènech i Montaner, que o finalizou no ano de 1908. É um marco para o movimento de arte Modernista da região da Catalunha e um excelente objeto de estudo para acústica de salas.

Estive lá no teatro para apreciar um espetáculo de dança flamenca, que realmente foi incrível. Infelizmente não pude filmar o espetáculo mas conseguir gravar um video para mostrar um pouco da arquitetura do local. Como sempre gosto de comentar sobre a acústica, sendo que esse local realmente é primoroso em termos decorativos e sonoros. Veja o que falo sobre o assunto abaixo:

Ah, como citei no video, segue o link para você se inscrever e ganhar todos os webinares gravados na sua caixa de e-mail.

O arquiteto Lluís Domènech i Montaner utilizou azulejos no teto para criar uma estrutura difusora que espalha o som e com isso evita o flutter echo, um defeito acústico muito conhecido devido ao paralelismo de paredes. Devido à boa distribuição de público e de cadeiras estofadas, o tempo de reverberação permanece controlado. Como o teatro é utilizado para peças teatrais e para música moderna, o tempo de reverberação um pouco mais baixo é benéfico. Já para música sinfônica o ideal é um tempo de reverberação mais alto, sendo que depende muito do volume do local e de quanto cada material utilizado:
1 – absorve,
2 – reflete,
3 – difunde.

O que dá o diferencial realmente é a questão da difusão, transmitindo uma sensação de espacialidade e boa distribuição. Além disso, os materiais acústicos que revestem as poltronas auxiliam na absorção do som, o que é deveras importante e permite grande flexibilidade no projeto acústico do arquiteto. Se você é arquieto, considere utilizar poltronas com os coeficientes de absorção conhecidos para alterar as propriedades da sua sala e com isso ajustar a acústica em termos do tempo de reverberação. Outros parâmetros podem ser avaliados neste tipo de projeto, como C80, EDT e D50. Posso explicar mais sobre esses conceitos em outro post. Muito da determinação destes parâmetros pode ser feito através de um modelo computacional do teatro. As ferramentas mais conhecidas do mercado são o Odeon, que é o mais completo, o EASE, que trabalha bem com projeto eletroacústico, e o CATT Acoustics, que é mais simplificado mas resolve a maioria dos casos com geometrias mais fáceis de trabalhar.

Veja só como diversos detalhes podem influenciar na melhora da acústica de salas, seja a estrutura física do ambiente ou detalhes nos materiais utilizados nos móveis.

Se você gostou desse conteúdo, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário aqui abaixo! Será ótimo iniciarmos uma discussão sobre esse assunto.

Querendo saber mais sobre acústica e vibrações? Observe que um dos maiores problemas brasileiros é a falta de projetos de controle de ruído ocasionado por equipamentos prediais e pelo arrastar de móveis ou salto alto em edifícios residenciais. Que tal se inscrever no nosso webinar exclusivo sobre como controlar a vibração em edificações com o especialista Moysés Zindeluk e se preparar para atender todas as normas brasileiras de desempenho acústico?

botão para se inscrever

Convite webinar vibrações

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resolva a equação para comentar *