Trisoft recebe o certificado de qualificação PBQP-H

O setor da construção civil exige diversas qualificações das empresas para que seja possível oferecer produtos atestados, em termos de qualidade, para programas de construção do governo federal. O PBQP-H, Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat, é um instrumento do Governo Federal para cumprimento dos compromissos firmados pelo Brasil quando da assinatura da Carta de Istambul (Conferência do Habitat II/1996). A sua meta é organizar o setor da construção civil em torno de duas questões principais: a melhoria da qualidade do habitat e a modernização produtiva. O objetivo deste programa é modernizar o setor da construção civil e incentivar a inovação tecnológica dos fornecedores para que sejam oferecidas soluções mais sustentáveis e de alto impacto na sociedade.

A empresa Trisoft, investiu pesado na qualificação de seus produtos, e recebeu o certificado PBQP junto ao PSQ Drywall ao se adequar aos requisitos da NTE-001 que dispõe sobre o uso de Lãs de PET (Poliester) para tratamento acústico de sistemas construtivos em chapas de gesso para drywall. Em resumo, são avaliadas diversas propriedades do material ofertado ao mercado como reação ao fogo, que é um dos itens mais importantes, haja visto o último incidente do prédio em Londres. As lãs de PET podem ser utilizadas em sistemas contendo uma ou mais chapas de gesso acartonado pressas a um montante metálico, onde a lã é colocada nos vãos dos montantes. Esse é também conhecido como sistema massa-mola-massa, que auxilia acusticamente ao melhorar o seu desempenho para uma mesma espessura de parede. Essa qualificação obtida pela Trisoft é renovada a cada três meses e neste período os produtos da empresa passam por constante verificação do órgão certificador. Isso representa uma vantagem competitiva da empresa e um diferencial a ser observado pelo cliente final.

As empresas do setor estão em constante atualização e esse é um exemplo de que temos empresários comprometidos com a qualidade, segurança e inovação em termos de sustentabilidade. Os nossos cumprimentos do Portal Acústica à Trisoft.

Confira abaixo o video sobre os produtos da Trisoft apresentados no Encontro SOBRAC 2017

Acompanhe os nossos materiais sobre acústica e fique por dentro do que é necessário em termos normativos. Recomendamos o nosso e-book que é um guia prático de acústica para edificações residenciais, e pode ser baixado gratuitamente clicando aqui.

Abraços e deixe seus comentários abaixo.

Nos falamos do outro lado do Portal!

 

Fontes:

http://pbqp-h.cidades.gov.br/pbqp_apresentacao.php

www.trisoft.com.br

Audium lança segunda temporada de cursos em acústica

Bom dia Brasil! Segunda-feira começou e você sempre naquela esperança de começar algo novo, seja uma dieta, um curso, ou um relacionamento. Hoje tenho uma novidade relacionada a cursos em acústica. Espero que gostes!

Não é a toa que a Audium lançou a segunda temporada de seus cursos presenciais. A estratégia de abordar assuntos específicos em minicursos de curta duração foi muito acertada. Tanto é verdade que diversas empresas estão apoiando essa iniciativa chamada Audium Propaga. Nós do Portal Acústica, como amantes do assunto, não poderíamos ficar de fora dessa.

Os cursos são divididos nas seguintes turmas e módulos:

  • Acústica Básica – Módulo 1
  • Acústica Básica – Módulo 2
  • Isolamento acústico de casas de máquinas
  • Acústica de auditórios e teatros
  • Acústica urbana
  • Acústica de casas de show, boites e cerimoniais
  • Acústica de estúdios musicais
  • Projetos de sistema de áudio em templos religiosos
  • Acústica de hospitais clínicas e consultórios
  • Acústica sustentável
  • Iluminação de auditórios e salas de aula
  • Áudio para arquitetos
  • Isolamento acústico de esquadrias
  • Áudio básico – Módulo 1
  • Áudio básico – Módulo 2

As turmas são reduzidas a até 9 alunos dando total possibilidade de interação com o professor. Os cursos são de 4 horas de duração e permite tirar as principais dúvidas além de favorecer o networking com profissionais da área. O investimento no seu futuro custa R$250 reais e é entregue um certificado ao fim de cada minicurso. Eles são realizados presencialmente na sede da Audium na Rua Alagoinhas, 84 – Rio Vermelho em Salvador – BA.

Mais informações sobre os cursos no Whatsapp +55 71 8118-9365 e no site http://www.audium.com.br/agenda/

Mas não se preocupe se você está muito longe e não tem como ir. Se inscreva na nossa lista de espera que estamos tentando viabilizar cursos de acústica à distância para você em um formato que seja acessível para mais pessoas. Os temas serão formatados de acordo com o seu interesse. Se inscreva aqui!

As 9 melhores empresas de produtos acústicos do Brasil – Construção Civil

O Medo e o poder da indicação

A primeira coisa que diversas pessoas pensam quando vão fazer uma grande mudança em suas vidas é: será que vai dar certo? E é natural sentir esse medo ao tomar uma decisão. As escolhas podem ser as mais diversas, mas o valor percebido com a mudança é especialmente impactante na aquisição de produtos acústicos ou serviço de consultoria acústica. Precisamos nos ver naquela situação futura para sentir confiança na pessoa que nos vende e realmente realizar a compra. A confiança é difícil de se adquirir, e nos dias de hoje com excesso de informação, o que procuramos são indicações de pessoas e fontes confiáveis. Aposto que você checa os reviews do produto ao comprar na Amazon, ou em qualquer outro e-commerce, certo? Além disso, você pergunta para seus amigos, familiares ou colegas de profissão antes de adquirir algum bem ou contratar um serviço especializado. Todos pesquisamos em diversos canais com o objetivo de pegar o máximo de informação antes de ir à loja ou entrar em contato com o comercial. Quando falamos em produtos acústicos, acreditamos que os clientes façam o mesmo, seja para compra direta ou ainda para especificação ao cliente final. As opções são muitas e no começo testamos muitas delas até achar às que nos trazem maior benefício.

Experiências pessoais

Com base na experiência pessoal, tanto de especificação e uso, é que resolvi redigir esse pequeno artigo. Não para privilegiar alguns em despeito a outros, mas para informar aos potenciais clientes, demais consultores e arquitetos sobre algumas experiências que me trouxeram bons resultados. Sendo que o meu critério foi trazer empresas que estão presentes em feiras, eventos, nos nossos escritórios e com forte atuação junto aos especificadores. Então dividi o artigo nas principais partes de uma construção civil, ou seja (piso, paredes, teto). Não vou colocar logotipos das empresas para evitar questões legais de uso das marcas e não vou falar de empresas das quais não provei qualquer produto ou serviço. Sendo assim, não limite a sua pesquisa de mercado a essa lista, mas por favor deixe um comentário caso descubra novas empresas e produtos acústicos que são referência para você e que te proporcionaram uma experiência que valham a pena ser compartilha.

Empresas com soluções acústicas para piso

Todo projeto acústico e de construção civil começa pelo piso. Esse elemento é muito importante, especialmente no que tange a transmissão das vibrações. Essas vibrações podem vir de grandes veículos nas ruas, ou do salto alto de uma pessoa caminhando no andar de cima. Veja que por vezes o objetivo é evitar que a vibração entre, ou que ela saia. Vejamos algumas empresas que trabalham com isso:

Aubicon – www.aubicon.com.br
Essa empresa apresenta soluções em mantas acústicas a partir de materiais resilientes e reciclados, auxiliando no reuso de rejeitos e contribuindo para melhoria acústica. As soluções em pisos emborrachados são aplicáveis a academia de ginástica, playground, estúdio de pilates, crossfit, peso livre e quadras esportivas. Em contrapiso flutuante as soluções são aplicáveis em apartamento, estúdio de gravação, estúdio de rádio/tv, sala de geradores, sala de equipamentos de ar condicionado. Mas existem outras mantas diversas que são aplicadas para minimizar o ruído em tubulações, sob revestimentos, ou aparentes não se limitando a escritórios e hospitais. Eu particularmente já especifiquei alguns produtos acústicos deles para academias e estúdios. Atendimento técnico e que auxiliou a tomar decisões mais acertadas junto aos meus clientes.

Vibrasom – www.vibrasom.ind.br
Essa empresa atua em uma linha extensa de produtos acústicos e com um e-commerce, mas especificamente em relação ao piso eles oferecem um produto interessante, os são berços acústicos. Eles evitam o contato direto do piso de compensado com a laje, através de caibros apoiados neste berço resiliente, reduzindo a transmissão estrutural da vibração. Já comprei e especifiquei diversos produtos acústicos deles, inclusive capturas de graves, portas acústicas e revestimentos de absorção que podem ser de diversas cores e categorias de absorção sonora. Enfim, praticidade na compra e atendimento adequado, com prazo e qualidade esperados.

Acital – www.acital.com.br
Essa empresa de SC vem se especializando em pisos acústicos, apesar de oferecer diversas outras soluções mais voltadas para o mercado industrial, como cabines e atenuadores. Eles recentemente fizeram uma parceria com a Getzner que é especializada em isolamento de vibração de trens, construção e equipamentos industriais. Eu particularmente instalei as mantas de poliéster e de polietileno expandido, que na minha visão são boas opções para apartamentos que não possuam requisitos especiais como estúdios. Mas para atender essas demandas mais específicas, eles oferecem os produtos acústicos da Getzner como mantas com diferentes densidades e aplicações como em piscinas. Sempre fui atendido em minhas demandas, o que me de satisfeito.

Empresas com soluções acústica para paredes

Isover Saint-Gobain – www.isover.com.br
Essa empresa atua com diversas soluções, desde piso, paredes e forros, mas vou comentar somente sobre as soluções de parede. A linha em lã mineral de vidro que pode ser colocada em sistemas de drywall, light steel frame e alvenaria, sendo um dos produtos acústicos mais conhecidos. Entretanto, eles atuam com revestimentos em véu de vidro e lã de vidro aglomerada. Esses revestimentos são aplicáveis em auditórios, estúdios, residências e outros ambientes, sendo seguros com relação à propagação de chamas, o que é um requisito muito importante. Já tive a experiência de especificar e trabalhar com as lãs e com os revestimentos. Profissionais e prestativos, os atendentes e especialistas sempre auxiliam nas escolhas.

Ambi Brasil – www.ambibrasil.com.br
Essa empresa produz revestimentos em MDF, revestimentos porosos e divisórias acústicas em vidro para empreendimentos de alto padrão. As possibilidades de fabricação são diversas o que confere alto poder de personalização do projeto arquitetônico e acústico com essas soluções. Os produtos acústicos são geralmente aplicadas mas não se limitam a igrejas, auditórios, salas de conferência, teatros, museus, escritórios. Tive a experiência de ter treinamentos, especificar, comercializar, instalar e conhecer toda a equipe deles. Atendimento excepcional!

Atenua Som – www.atenuasom.com.br
Essa empresa oferece soluções em aberturas, sejam janelas ou portas, para garantir o sossego de clientes residências, em sua maioria. As inovações em vidros insulados e tipos de abertura e vedação são marca registrada desta empresa preocupada com tecnologia e em estar. Apesar de produtos acústicos, a atenua som conta com um laboratório próprio e oferece serviços além de cursos para empresários e comunidade. Tive contato com a Universidade do Som e realizei a especificação dos produtos deles, que me chamaram muitotenção pela tecnologia.

Empresas com soluções acústicas para forros

OWA Sonex – www.owa.com.br
Essa empresa atua basicamente com forros minerais e placas acústicas para revestimento, além de forros e revestimentos em MDF e perfis metálicos. As famosas placas Sonex hoje em dia estão utilizando uma formulação especial incombustível que garantem a segurança em condições extremas de fogo. Elas se apresentam em forma de revestimento e em nuvens ou baffles. A linha de forros minerais tem ampla gama de absorção sonora e texturas. Tive a oportunidade de especificar e instalar diversas placas e revestimentos distintos para clientes como estúdios de TV/rádio, cinemas e home theaters. Mas as aplicações podem se expandir a supermercados, casas de shows, aeroportos e outros. Sempre tive ótimo atendimento por parte dos vendedores e da parte técnica.

Armstrong Ceilings – www.armstrong-brasil.com.br
Essa empresa trabalha com pisos e forros. Em especial forros minerais, forros e marquises. As soluções em forros metálicos e nuvens acústicas se destacam pelo extenso catálogo internacional e com diversas possibilidades. Essa é uma empresa presente em diversos países e que apresenta um portfólio extenso com possibilidades de aplicação de produtos acústicos conforme a especificação técnica. Tive a visita de representantes e ótimo atendimento para esclarecer dúvidas e selecionar soluções elegantes em termos arquitetônicos junto aos meus parceiros arquitetos.

Trisoft – www.trisoft.com.br
Essa empresa atua com uma ampla linha de produtos acústicos e têxteis. Para a construção civil as soluções são se limitam a forros, tendo as lãs de poliéster aplicadas em sistemas de drywall, forros modulares, em pisos de edifícios e coberturas. Gostaria de comentar sobre a possibilidade de se personalizar uma estampa em um painel de lã de poliéster (feito de garrafas PET) e poder utilizar como painel na parede ou como nuvem acústica. Em geral essa solução pode ser usada em restaurantes, cafés, shopping centers, entre outros locais. Lembrando que esse mesmo material pode ser um bom isolante termo acústico em formato de manta para coberturas industriais ou até comerciais ou residenciais. Tive boa experiência nas negociações e especificação dos produtos acústicos.

Conclusão

Existem diversas empresas que oferecem soluções acústicas no Brasil. Muitas delas oferecem serviços, mas trouxe aqui fornecedores de produtos para a construção civil, visando limitar a análise e trazer algumas experiências pessoais. Outra boa fonte de informação é a ProAcústica, que é a maior associação de empresas do ramo no Brasil. Se você for produtor de materiais acústicos, entre em contato e seja parceiro do Portal Acústica. Afinal as pessoas querem informações e boas indicações para fazer a escolha certa para os seus negócios, correto? Bom, deixe seu comentário e baixe nosso e-book que é um guia prático sobre acústica em edificações habitacionais.

Abraço e nos vemos do outro lado do Portal!

A construção deve ser mais silenciosa!

Estivemos no Encontro SOBRAC 2017 e nos surpreendemos com a quantidade de trabalhos em acústica arquitetônica que foram apresentados. Não é a toa, as nossas construções tem uma qualidade muito ruim em geral, comparadas com outros países. Os pisos em porcelanato em geral agravam o problema de ruído de salto alto nos prédios, o que é um dos piores problemas hoje em dia. Ainda não temos certeza de quem é a culpa por isso acontecer, mas tudo isso passa pela aprovação de normas que viram leis e que por fim dão garantias aos compradores de imóveis que eles não terão problemas com ruído.

Convidamos para uma apresentação o engenheiro Vitor Litwinczik que é doutor em Acústica e Vibrações pela Universidade Federal de Santa Catarina e diretor da empresa Anima Acústica. Ele tem 10 anos de atuação no mercado e atua na área da construção civil elaborando de projetos acústicos de edificações com foco no desempenho e conforto acústico. Realizou mais de 60 ensaios de desempenho acústico de edificações para construtoras de São Paulo, Rio de Janeiro e Região Sul do Brasil, além da elaboração de estudos de impacto de ruído por meio de medições acústicas e mapas de ruído e projetos de acústica arquitetônica. Essa apresentação ocorrerá via Webinar e só para inscritos!

Webinar – Impactos da norma de desempenho acústico na construção civil
01/06/17 – às 20h

  • Saiba o que as normas de desempenho acústico definem, e como elas são aplicadas através de ensaios realizados por profissionais especializados.
  • Entenda o que são os níveis mínimos, intermediários e superiores de desempenho e como alguns tipos de sistemas construtivos estão classificados.
  • Conheça os resultados e os comentários de um dos profissionais mais experiêntes no assunto, através de uma entrevista exclusiva, que só o Portal Acústica oferece gratuitamente.
  • Confira as principais dicas sobre o tema e como você pode resolver os seus problemas relacionados ao ruído em sua residência.

Se inscreva clicando aqui.

VitorFB-01 Bom, esperamos você lá!

Medição de desempenho acústico em câmara reverberante

Esses dias uma colega me disse que não conseguia dormir porque ouvia o barulho da TV através da parede do quarto dela com o vizinho. Era um sobrado que foi construído sem qualquer atenção às normas brasileiras em vigência. Infelizmente isso ocorre frequentemente, e gostaríamos de alertar as pessoas que isso pode ser contornado se o planejamento e o investimento em acústica é feito.

Agora a questão é, qual é o sistema construtivo ideal para se colocar nesta parede do exemplo acima? Os fabricantes de drywall, de janelas, portas e outros sistemas acústicos usados para separar dois ambientes, devem testar seus protótipos ou produtos antes de botar no mercado. Agora onde e como fazer isso? Existem alguns poucos laboratórios como o LVA/UFSC e o IPT que realizam ensaios para comprovar a chamada “perda de Transmissão” de um sistema construtivo. Esse ensaio é realizado em uma câmara especial e fornece um laudo dizendo o desempenho do specimen testado. O chamado Rw do sistema, que é o valor de isolamento acústico ponderado conforme uma curva padronizada.

Perda de Transmissão

Você sabe a importância de medir o desempenho acústico de sistemas construtivos? No vídeo a seguir eu, Pablo Serrano, estive no Laboratório de Vibrações e Acústica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para realizar algumas medições e contar um pouco sobre a câmara reverberante e o ensaio de perda de transmissão.

Esse laboratório é um espaço altamente reverberante com diversos difusores que fazem função de quebrar os modos acústicos do ambiente. Esse local também é utilizado para fazer outros ensaios como de potência sonora de equipamentos, além do ensaio de perda de transmissão de materiais acústicos, veja só:

 

As esquadrias de uma janela na construção de uma casa, por exemplo, devem ser projetadas para evitar vazamentos de som. Para isso, os testes feitos em laboratório procuram reproduzir as condições da aplicação prática do equipamento para que seja medida a transmissão sonora através do material. Um outro exemplo é a avaliação de um visor acústico de um estúdio de gravações por exemplo, que deve atender a um isolamento bastante grande.

Faz-se uma medição no lado de dentro da câmara e também do lado de fora em outra câmara. O valor do desempenho acústico do sistema acústico pode então ser utilizado nos catálogos dos fabricantes e é útil para o projetista. Para cada tipo de material há uma perda de desempenho em relação ao que é medido em laboratório ao aplicá-lo na obra. Mas isso é assunto para outro post.

Gostou desse vídeo sobre como medir o desempenho acústico de materiais? Então compartilhe com os seus colegas e deixe comentários aqui abaixo! Você também pode conferir o webinar com o professor Eric Brandão, onde exploramos o tema Materiais Acústicos para Acústica de Salas. Disponível aqui.

Ruído de veículos em grandes centros urbanos

O ruído de veículos pode ser uma verdadeira dor de cabeça para quem vive nos grandes centros urbanos do mundo. Seja num escritório de um prédio comercial ou num apartamento de um condomínio residencial, o ruído está em todo lugar. Hoje quando fui ao pilates a minha instrutora disse que não havia dormido direito por conta da conversa das vizinhas no sobrado de cima. Na hora observei a frustração dela e vi o quanto isso é realmente um problema para ela. Neste caso, os ruídos podem ser do vizinho de cima, mas o problema que você está enfrentando pode ser decorrente de outra fonte.

Se você mora em um grande centro urbano ou próximo a uma rodovia, sabe que as vezes é cansativo e estressante ficar com as janelas abertas. Nós técnicos e planejadores, temos que ter consciência disso e dizer que  é importante monitorar o comportamento acústico do ambiente, para garantir mais qualidade de vida e conforto para os cidadãos. E infelizmente a polícia e os orgãos fiscalizadores de poluição sonora são ineficazes, sendo somente um comprimido que tomamos nos dias em que não dá para aguentar a festa do vizinho.

Nesse vídeo, Pablo Serrano foi até o subúrbio de Londres para medir o ruído de veículos em uma região que mistura prédios comerciais e residenciais, veja:

Temos diversos tipos de ruído de veículos: rodoviário, metroviário, ferroviário, aeronáutico e outros. Em geral, temos que avaliá-los de forma independente e de acordo com a presença de cada tipo de fonte sonora encontrada em uma localidade. E o ruído de carros, por exemplo, é variável de acordo com a velocidade da via, tipo de asfalto, porte do carro, tipo de combustível (elétrico, gasolina, etc) e hora do dia. Em geral podemos modelar o ruído de uma rua ao ter uma estimativa do fluxo de veículos  por porte e horário de avaliação. Esse modelo pode ser simplificado e baseado na potência sonora média, podemos criar fontes sonoras lineares que representem a rodovia. Tais modelagens podem ser inseridas a mapas de ruído.

Certamente uma tendência em todas as grandes cidades, assim como São Paulo decretou, é a criação de mapas de ruídos para orientar a construção civil e reduzir o stress da população. O poder público terá agora muito mais condição de realizar melhorias e controlar as poluições sonoras. Esse é um projeto ambicioso e que contempla a colocação de diversos medidores de som em toda a cidade. Tais medidores ficam por horas, e as vezes diversos dias ligados, guardando informação. O melhor mesmo seria ter essa informação em tempo real, gerando um histórico massivo de dados. Mas, imagine, numa cidade como São Paulo, a quantidade de dados absurda que seria gerada durante a aquisições de dados. Imagine agora isso sendo guardado por anos, permitindo análises complexas de evolução da poluição sonora por bairro ou região. Falo mais sobre isso em um outro post que você pode conferir aqui.

Se tiveres alguma questão extra sobre ruído de veículos que não abordamos no vídeo, deixe aqui abaixo nos comentários! Será bem bacana continuar o diálogo.

Como medir ruídos ferroviários

Trens e metrôs são utilizados todos os dias para o transporte de passageiros no mundo todo. A expansão das malhas também provoca o aumento da construção de edifícios às margens desses espaços pois facilita a locomoção dos habitantes dessas localidades e, por consequência, dos ruídos ferroviários no ambiente.

Nesse tipo de situação, é fundamental que se faça um mapeamento da paisagem sonora do local. Com isso, sabe-se qual o nível de pressão sonora nas janelas de um apartamento, por exemplo.

No vídeo apresentado a seguir, Pablo Serrano faz uma avaliação de SELs, um tipo de medição de ruídos originados com a passagem dos trens, em um município próximo a Londres. Ele explica que a paisagem sonora muda de acordo com os tipos, quantidade de vagões e velocidade dos trens. Veja mais:

Ao criar um modelo computacional, contendo a paisagem sonora de um local, e identificados os níveis de ruídos ferroviários, podemos definir quais materiais utilizar na construção de um empreendimento imobiliário. A disposição das aberturas, localização de quartos e outros insights podem ocorrer ao ter um mapa de ruído que considere todas as fontes sonoras da região. Além disso, o ruído ferroviário é difícil de se calcular em somente um número em dB, por conta destas questões de fluxo, tamanho, velocidade e quantidade de vagões. Uma avaliação correta é fundamental para o sucesso e a qualidade da entrega final para os arquitetos e urbanistas. Os grandes escritórios de arquitetura de Londres sabem disso e não dispensam uma boa avaliação da paisagem sonora antes do empreendimento sair do papel.

Acompanhe o Portal Acústica e saiba tudo sobre o universo da engenharia e da arquitetura acústica. Deixe seus comentários abaixo!

Se você quer conhecer mais sobre o Portal Acústica e se comunicar com a nossa comunidade de profissionais e aspirantes, veja os webinares e interaja conosco. É só clicar aqui e se inscrever gratuitamente.

Ruído ambiental e Indústria 4.0

Qual é a diferença entre Sons e Ruídos? Sons são o objeto de estudo da acústica, sendo que os ruídos são sons interpretados como indesejáveis e que causam desconforto ao ser humano. Os ruídos são gerados pelo homem, através de atividades que possam envolver algum tipo de equipamento que emite os ruídos e interfere na paisagem sonora de uma região. O ruído pode ser industrial, rodoviário, ferroviário, aeroportuário, metroviário, ou até algazarras, entre outros.

Saber avaliar os ruídos em um grande centro urbano é fundamental para realizar um planejamento urbano adequado. Pode-se identificar onde é a melhor posição para a construção de um empreendimento imobiliário residencial, por exemplo. Lembrando que o planejamento prévio reduz custos e re-trabalhos, além de garantir mais eficiência. Em virtude disso, um manual gratuito foi elaborado pela Pro Acústica sobre Classes de Ruído. Esse manual visa auxiliar o profissional encarregado da caracterização da característica do ruído em uma área. Ele contém alguns mitos e verdades a respeito do assunto. Uma leitura essencial sobre o tema. Você pode conferir clicando aqui. Na minha visão o manual é informativo e dá pinceladas sobre a norma EN 12354, que normatiza o cálculo do desempenho acústico de um ambiente, baseado nos elementos construtivos de cada parede, teto e piso. Apesar de ser curto, o manual auxilia o entendimento do conceito de Classe de Ruído e foca no profissional de acústica, que é o principal responsável por identificar a Classe de ruído, e com isso definir os critérios mínimos de desempenho acústico de uma edificação. Vale ressaltar que os níveis máximos de ruído de fachada são dependentes desta classe de ruído em uma edificação, e a norma NBR 15.575 é que permite estabelecer o mínimo de desempenho necessário para garantir a qualidade da mesma.

No vídeo a seguir, Pablo Serrano, fundador do Portal Acústica, explica como a cidade de Manchester (UK) se planeja com base no ruído ambiental gerado:

Podemos também pensar na questão do planejamento urbano com base em novos conceitos de IoT (Internet of Things). Vejamos o caso dos mapas de ruído. Se tivermos sensores acústicos espalhados pela cidade, podemos utilizar comunicação sem fio para transmissão dos dados e consequente mapeamento em tempo real. Isso pode disparar gatilhos que identifiquem atividades poluidoras imediatamente. Caso esses equipamentos sejam integrados a atuadores, quem sabe seja até possível realizar mascaramentos de ruídos ao se valer de transdutores instalados em locais estratégicos da cidade.

Enfim, a IoT é somente um dos elementos da Indústria 4.0, que atualmente é conhecida como a revolução da comunicação e do conhecimento. Existem sistemas de baixo custo para implementação de sistemas eletrônicos com alto grau de conectividade e controle. Desta forma, precisamos pensar nossas cidades como Smart Cities, onde ela mesmo se auto diagnostica e atua de forma a autônoma. Se existem carros autônomos hoje em dia, as cidades autônomas são somente uma questão de escala. E isso não se restringe à acústica! Imagine sistemas detectores de odores, de fumaça, de luminosidade, precipitação, e outros interligados e arquivando imensas quantidades de dados. Esse é o grande desafio dos dias de hoje, conseguir projetar com base no passado, mas observando tendências e estimativas calculadas com base em dados de sensores reais. Não teremos mais arquitetos e urbanistas que decidem com base em achismos ou observações supérfuas, mas sim baseados em históricos e comportamentos da região. Isso permite avaliar impactos e elaborar planos de contingência mais acertados, por exemplo nos casos de evacuações de áreas em caso de desastres naturais.

Como conclusão, segue a dica de estudo sobre IoT, Big Data e Mapeamento de Ruído. Juntos, esses elementos são essenciais para os profissionais que atuarão neste mercado da Indústria 4.0 que logo estará recrutando mais profissionais.

 

Gostou do Post? Comente e faça parte da nossa comunidade. O próximo Webinar de discussão sobre “A valorização do profissional de arquitetura e engenharia acústica no Brasil”, com a Professora Stelamaris Bertoli é dia 23/05, às 20h. Inscreva-se clicando aqui!

Acústica urbana e big data

Cuidar dos ruídos é fundamental para o conforto sonoro em grandes cidades. Mas, como se melhora a qualidade acústica urbana? Para isso, planejamento urbano é fundamental. Ou seja: alocar áreas específicas para residências, zonas industriais, espaços de lazer coletivos, etc. Os planos diretores das cidades devem, portanto, ser formatados tendo em consideração todas as disciplinas, inclusive a acústica. Cidades como Fortaleza e São Paulo já se deram conta desta necessidade. Essas cidades já têm um mapa de ruído em elaboração e com isso o poder público pode planejar baseado em dados e históricos.

Barcelona, por exemplo, conseguiu manter o seu centro silencioso, mesmo próximo de uma área possivelmente barulhenta. Em visita à cidade, Pablo Serrano nos conta como a gestão do município levou em consideração seu relevo e outras características para o planejamento da acústica urbana. Veja:

Podemos também notar que novas tecnologias de big data serão essenciais para se armazenar e gerir dados de estações de mapeamento acústico. Essa é a nova forma de ver o mundo, com sensores de diversos tipos sendo instalados por toda a cidade gerando volumes gigantescos de dados. Imagine um departamento de polícia que contém o monitoramento de mais de 100 instrumentos de medição acústica por toda a cidade, coletando dados referêntes a intensidade sonora. Se pudermos estabelecer critérios para emitir alertas, ou ainda, para avisar sobre eventos fora do convencional, com certeza não teremos mais que ligar para a polícia para reclamar dos vizinhos!

É claro que isso passa por diversas discussões legais e por questões de implementação e de segurança. Aqui no Brasil ainda é complicado colocar equipamentos caros em algumas localidades, sem correr o risco de furtos e vandalismos. Entretanto, é altamente factível construir um sistema inteligente de mapeamento sonoro em tempo real que produza históricos e permita avaliações estatísticas e sazonais quanto ao ruído, em qualquer região que seja.

Um exemplo seria avaliar os níveis de ruído em um bairro com potencial turístico, durante e fora da alta temporada. Contudo, poderiam-se realizar medidas de controle para evitar reclamações durante períodos de festas ou manifestações populares, que causam grande poluição sonora.

Bom, atualmente existem sistemas de mapeamento acústico bastante avançados que permitem monitorar uma estação de medição à distância, acompanhando os resultados pela internet. Mas o histórico durante um grande período de tempo quase nunca é requerido pelos contratantes. Isso tende a mudar, observando a tendência de mais sistemas de big data virem ao mercado. E as grandes vantagens ao meu ver são:

  • Acompanhamento do aumento ou diminuição global da poluição sonora
  • Monitoramento da saúde dos trabalhadores (explosões em pedritas, máquinas em indústrias)
  • Identificação e caracterização de eventos potencialmente perigosos (explosões, trovoadas,  progação de alertas sonoros)
  • Controle da aplicação das leis (limites estabelecidos em normativas, conforme zoneamento)

Finalizando, novas tecnologias baseadas em internet das coisas, big data e análise estatística são hoje possíveis. Tais tecnologias podem ser integradas em sensores com conexão à internet, e que, continuamente, adquirem informações acústicas de cidades. O uso dos dados pode ser dos mais variados, por exemplo para estudo, para monitoramento, para controle ou, ainda, para prevenir avanços da poluição sonora, conforme tendências baseadas em históricos. Para tal, teremos que preparar melhor nossos profissionais para tratar grandes volumes de dados. Tais profissionais devem ser capazes de manusear dispositivos industriais e que permitam acesso à internet de maneira segura e confiável.

XXVII Encontro SOBRAC – Som no espaço urbano

Nossas cidades estão cada vez se tornando maiores. Cada dia observamos como o êxodo rural ocorre, mas principalmente como as cidades vão se moldando. Não temos mais aquela migração em massa para os grandes centros urbanos, mas sim a criação de novos centros urbanos. Uma megacity (ou mega cidade) é composta por mais de 10 milhões de pessoas. Atualmente temos 37 destas cidades no mundo. Até 2030 a previsão das nações unidas é que teremos 41 megacities. Tendo isso em vista, há a necessidade de discutirmos como se dá o planejamento urbano e quais problemas já foram enfrentados no passado e podem ser contornados em novas cidades com potencial de expansão.

A terceira mais preocupante forma de poluição no mundo é a sonora, depois da poluição da água e do ar. Entretanto, a poluição sonora é complicada de se avaliar pois os efeitos dela são subjetivos e afetam a qualidade de vida causando estresse e surdez a longo prazo. Portanto, apesar de ser mensurável, o som é por vezes não sendo algo visto pelo poder público com grande atenção na prevenção destas doenças modernas que são a ansiedade, e os problemas psicológicos gerados pelo ruído.

Neste encontro da Sociedade Brasileira de Acústica, a SOBRAC, teremos a discussão deste tema da poluição sonora, principalmente focada na geração de mapas de ruído, impactos na saúde e gestão do ruído ambiente. Serão 6 palestras, 2 mesas redondas, 6 minicursos e uma feira com pelo menos 15 expositores. O encontro ocorre na cidade de Brasília do dia 28 a 31 de Maio e terá um jantar de confraternização, além de uma reunião da SOBRAC ao fim.

Para o evento são esperados pesquisadores, profissionais do ramo, estudantes e professores que terão muito tempo para interagir e trocar conteúdo técnico e mercadológico. Os trabalhos técnicos serão apresentados em sessões técnicas e haverá a exposição de posters. Os temas variam entre acústica de salas, aeroacústica, realidade virtual acústica, ruído ambiental, e outros vários que abrangem todas as linhas de pesquisa dos congressistas. Um destaque é a palestra internacional do professor Prof. Yves Aurégan (Laboratoire d’Acoustique de l’Université du Maine, CNRS – Centre National de la Recherche Scientifique) sobre aeroacústica em dutos (Flow Duct Acoustics). Eu especialmente conheço o trabalho do Yves que já participou comigo dos congresso da AIAA (American Institute of Aeronautics and Astronautics). Ele tem trabalhado com escoamentos em dutos avaliando a interação de materiais porosos e resonadores com escoamentos, utilizando técnicas como PIV (Particle image velocimetry)e impedance eduction.

Os profissionais e estudantes interessados em se inscrever no congresso podem realizá-la no site do evento http://sobrac2017.com.br/ e optar pela inscrição nos minicursos e no jantar, além do congresso. Cabe frisar que haverá estacionamento no local do evento e a entrada na feira de negócios é aberta ao público, sem a necessidade de inscrição.

O Portal Acústica é apoiador do Encontro SOBRAC 2017 e estará fazendo a cobertura do evento ao vivo através do Facebook em algumas lives e fará entrevistas com os patrocinadores e expositores nos stands, além de bate-papos rápidos com os congressistas. Acompanhe e caso fores ao evento, não se esqueça da inscrição até dia 17 de Maio com desconto. Os valores variam de R$300 a R$900 de acordo com a modalidade.