Acústica em igrejas: Sagrada Família, em Barcelona

Muitos conhecem a cidade de Barcelona, na Espanha, por conta do seu famoso time de futebol. Porém, o que nem todos sabem é que esse charmoso município da região da Catalunha preserva um acervo cultural e arquitetônico fantástico. No vídeo a seguir, Pablo Serrano, fundador do Portal Acústica, apresenta um marco da cidade. A Sagrada Família é uma catedral católica projetada pelo arquiteto Antoni Gaudí. Ela começou a ser construída em 1882 e ainda não está totalmente pronta. Entretanto, está aberta a visitação do público que paga um bom valor para conhecer essa grandiosa obra de arte arquitetônica e religiosa. Na nave principal é possível observar as quatro pilastras principais com símbolos representando alguns dos apóstulos. Diversas outras pilastras são inclinadas e o templo exploratório da Sagrada Família, como também é conhecida, apresenta diversos vitrais e magníficas formas e abóbadas, além de um museu no subsolo.

Neste video gravado neste maravilhoso templo explicamos detalhes de projetos de acústica em igrejas, veja:

Ao projetar uma igreja, é necessária uma ótima sinergia entre o arquiteto e os padres, ou pastores. Com certeza esse foi o caso nesta grandiosa obra. A inteligência de Gaudí no estudo de como apoiar as estruturas e garantir as formas foi feito utilizando um método muito curioso. Ele pendurava diversos cordões, um ao lado do outro, com pesos nas pontas. Ele então entrelaçava os cordões e criava o formato dos arcos de ponta cabeça, se utilizando da gravidade para verificar se o formato era possível e estável.

Resultado de imagem para museu sagrada família

Uma das principais características acústicas desta igreja é a difusão. Como todos a abóbada é totalmente assimétrica e com diversas reentrâncias e picos, as ondas sonoras são refletidas e espalhadas no ambiente. Com isso, o nível de pressão sonora no ambiente é mais homogêneo, ou seja, não apresenta regiões com diferenças muito pronunciadas de intensidade do som. Isso é muito importante para a qualidade do que chamamos de cauda da reverberação. Sendo que o som decai ao longo do tempo de maneira harmoniosa e sem artefatos sonoros audíveis. Com isso o som se torna mais agradável no ambiente e dá mais sensação de conforto.

Ao projetar uma igreja, o pastor ou o padre, tem um único objetivo: levar a palavra para seus fiéis. Para tal, o ambiente deve auxiliar de forma a levar tal palavra em “alto e bom som”! O que acontece em diversas igrejas, é que o ambiente não é preparado para o som, e com isso a qualidade sonora é muito degradada. Vamos então dividir nestes dois elementos, conforme o ditado popular. O que é “alto”, e o que é “bom”?

Por “alto”, em parâmetros técnicos, podemos dizer que é uma onda sonora com nível de pressão sonora suficiente e que vença os demais ruídos presentes no ambiente. Ou seja, se o ar condicionado está ao lado da pessoa e a porta da igreja está aberta, pode ser que estas outras fontes de ruído confundam o ouvinte. Com isso, a relação entre o “sinal”, ou seja a palavra do orador, e o “ruído”, todos os demais sons, é prejudicada. Em inglês SNR “Signal to Noise Ratio”, representa essa relação sinal/ruído. Para melhorar a SNR há duas alternativas, ou aumentar o volume da fonte sonora, o orador, ou ainda diminuir o ruído. A preferência deve recair sempre para a redução do ruído, pois muitas vezes optamos por colocar caixas de som e acabamos elevando muito os níveis, causando fadiga e irritação de algumas pessoas que não gostam do som muito alto. Para baixar o ruído, devemos então realizar o controle dele através de isolamento acústico ou ainda criando zonas com bastante absorção sonora que diminuem a energia sonora. Um bom projeto de isolamento acústico de uma igreja, assim como de qualquer outro ambiente, deve levar em consideração as demais disciplinas (hidráulica, elétrica, ar condicionado, arquitetura, estruturas, equipamentos). Para tal, o projetista analisa a influência de cada uma das fontes de ruído e prevê o impacto de tais fontes no ruído do ambiente. A norma brasileira que estabelece o nível aceitável de ruído em um ambiente é a NBR 10.152. E para igrejas e templos, o nível aceitável de ruído é de 50 dBA, mas para o conforto deve-se ter no máximo 40 dBA. É difícil conseguir tais valores, ainda mais próximo a uma rodovia e com as janelas abertas. Portanto, o indicado é procurar um especialista e resolver o problema. Assim, garantindo o isolamento da igreja, se garante também que os vizinhos não serão incomodados pelas atividades do culto.

Resultado de imagem para museu sagrada família

Por “bom”, podemos dizer que cada pessoa tem uma preferência. Em acústica, as avaliações subjetivas são estudadas com critério e se utilizam parâmetros objetivos e modelos estatísticos para avaliar o quão bom um som é para uma pessoa. No caso de uma igreja, a coisa é mais simples, pois em geral pode-se utilizar somente alguns parâmetros bem objetivos que são ou previstos durante o projeto ou medidos na igreja. Podemos citar alguns dos parâmetros de inteligibilidade da voz, como o ALcons, que é o índice de articulação da voz e perda de consoantes, o STI, que é o Speech Transmission Index. Ambos dão valores que podem ser traduzidos em atributos qualitativos como Ruim, Razoável, Bom e Excelente. Para saber mais sobre esses parâmetros, o recomendável é se especializar fazendo cursos sobre acústica. Mas se seu objetivo for realmente garantir a qualidade em uma igreja, agora você já sabe qual profissional procurar e qual parâmetro você pode exigir uma avaliação.

Gostaria de saber mais sobre as fases do projeto acústico? Então recomendamos a leitura desse artigo.

Webinar: Inovações em janelas acústicas

Ao longo dos meses de Abril e Maio o Portal Acústica fará uma série de webinares sobre o mercado de arquitetura e engenharia acústica no Brasil. Fique por dentro dos assuntos mais atuais no momento e amplie o seu network ao dialogar com profissionais referência na área.

O webinar do dia 16 de Maio terá o assunto “Inovações em janelas acústicas“. Teremos a participação de Edison Claro, Diretor da Atenua Som, e do MEng. Pablo Serrano, especialista em soluções acústicas.

Faça sua inscrição agora clicando nesse link!

Qual será o assunto desse webinar?

  • Janelas acústicas
    Características das janelas acústicas e o impacto de novas tecnologia no Brasil.
  • O mercado brasileiro
    O status tecnológico Brasileiro em termos de atendimento das normas da ABNT relacionadas à edificações residenciais e como se situa o setor de janelas acústicas em específico. Como superar o excesso de ruído nas grandes cidades do país.
  • Desafios do setor
    Os principais desafios do setor de acústica para enfrentar a crise. Como inovar nos negócios e no desenvolvimento de produtos acústicos? A qualidade técnica dos profissionais brasileiros frente outras potências mundiais na área de acústica e o que as empresas esperam dos novos profissionais.

Conheça mais sobre os participantes

Pablo Serrano

Engenheiro Mecânico, doutorando em engenharia e meio ambiente, com foco em aeroacústica computacional pelo Institute of Sound and Vibrations Research, UK, mestre em engenharia mecânica com ênfase em aeroacústica experimental, MBA em gerenciamento de projetos, técnologo em redes de computadores, consultor independente de acústica em edificações, músico, blogueiro e fundador do Portal Acústica.

Edison Claro

Presidente executivo da Proacústica, vice-presidente de comunicação e eventos da AFEAL, diretor da Universidade do Som e da Atenua Som. Economista com especialização em Administração de Materiais pela FGV e pós-graduado em Acústica pela Poli-USP. Possui 30 anos de experiência em soluções acústicas para caixilhos e lidera o desenvolvimento de metodologias exclusivas que visam soluções acústicas eficazes.

Clique aqui e faça sua inscrição no webinar “Inovações em janelas acústicas“. Aproveite!

A série de webinares gratuitos sobre acústica chegou!

Estamos muito empolgados com o anúncio desta série de conteúdos exclusivos que estamos preparando para vocês! A partir de amanhã teremos uma série de seminários online sobre acústica, também conhecidos como Webinares, onde teremos bate papos técnicos, mercadológicos e educativos sobre temas relacionados a diversas áreas da arquitetura e engenharia acústica. Com certeza uma oportunidade impar de se manter atualizado(a) e saber mais sobre quem tem feito história neste segmento.

Antes de mais nada, clique aqui e se inscreva em todos os webinares.

O primeiro webinar é muito especial, pois é com uma pessoa que conheci no INAD (International Noise Awarness Day), que é um evento que ocorre anualmente com o objetivo de concientizar as pessoas de como o ruído é importante em nossas vidas, e também como evitá-lo. Essa pessoa é a Arq. Débora Barretto da empresa Audium da Bahia.  Me encantei com as fotos de auditórios que ela visitou e projetou e então vi que ela realmente sabe do assunto. Vamos conversar sobre A arquitetura como forma de expressão sonora, visto a experiência dela em diversos projetos arquitetônicos que levam a acústica muito a sério. Podes clicar na imagem para ter mais informações e se inscrever.

capa_webinar01

Já o segundo webinar traz o fundador e diretor da Audium, o Sr. José Dionísio Neto, que tem uma bagagem de experiência e dezenas de projetos de grande porte, como o Museu do Amanhã no Rio de Janeiro. Ele é especialista em projetos de áudio de grande porte, para estádios, museus, igrejas, casas de shows e outros. Com certeza, se você trabalha com sonorização, é técnico de som em estúdio ou ao vivo, ou ainda projetista de áudio, esse webinar é para você. O tema será Projeto de Sistemas de áudio para igrejas, casas de shows e museus. Já estamos com mais de 100 pessoas incritas, então corra para pegar a sua vaga! Podes clicar na imagem para ter mais informações e se inscrever.

capa_webinar03_03

Neste mês de Abril esse são os eventos. Mas mais para frente teremos outros super interessantes como o Webinar sobre Materiais Acústicos, com Eric Brandão Professor de Acústica da Universidade de Santa Maria. Uma pessoa que tive o prazer de conhecer em ambiente de pesquisa enquanto ele ainda estava no Doutorado na UFSC. Uma pessoa que sabe muito e traz de maneira didática um conteúdo controverso e que muitas pessoas ainda não tem propriedade para especificar e instalar. Podes clicar na imagem para ter mais informações e se inscrever.

capa_webinar02_v2

Mais para frente teremos assuntos como Normas de Desempenho em Edificações Residenciais, e A Valorização do Profissional de Arquitetura e Acústica no Brasil.

E fechando a série, teremos uma entrevista super exclusiva com a pessoa mais entendida de Janelas Acústicas do País! Sim, você que estava esperando por esse assunto, agora pode conferir muito sobre o assunto neste webinar sobre Inovações em Janelas Acústicas com Edison Claro de Moraes, nada mais nada menos que o Presidente da Pró-Acústica.

capa_webinar04

Por enquanto, podes ir se inscrevendo em todos os webinares que nós vamos te mantendo informado, ok? O legal de tudo isso é que independe de onde você estará, você pode acompanhar tudo pela internet e não perder um segundo do conteúdo, com a possibilidade de interação com esses grandes profissionais e a nossa comunidade que cresce a cada dia mais!

Clique aqui e saiba mais sobre todos esses eventos!

Nós iremos de avisando dos próximos webinares na sequência. Mas garanta sua vaga nestes e nos vemos do outro lado do Portal!

Não se interessou pelos eventos? Então veja o nosso mais novo video no Youtube! Clique aqui!

Webinar: Materiais acústicos para acústica de salas

Ao longo dos meses de Abril e Maio o Portal Acústica fará uma série de webinars sobre o mercado de arquitetura e engenharia acústica no Brasil. Fique por dentro dos assuntos mais atuais no momento e amplie o seu network ao dialogar com profissionais referência na área.

O mais aguardado webinar dessa série terá o tema “Materiais acústicos para acústica de salas” e contará com a participação do DEng. Eric Brandão, Professor da UFSM, e do MEng. Pablo Serrano, especialista em soluções acústicas.

Faça sua inscrição agora clicando nesse link. O encontro será no dia 25 de Abril!

capa_webinar02_v2

Qual será o assunto desse webinar?

  • Acústica de salas
    Conceitos básicos, materiais e aplicações comerciais e residenciais.
  • Para se atualizar
    Conheça as principais tecnologias utilizadas dentro e fora do Brasil. Processos, técnicas de produção e prototipagem que estão inovando o mercado.

Conheça mais sobre os participantes

Pablo Serrano

Engenheiro Mecânico, doutorando em engenharia e meio ambiente, com foco em aeroacústica computacional pelo Institute of Sound and Vibrations Research, UK, mestre em engenharia mecânica com ênfase em aeroacústica experimental, MBA em gerenciamento de projetos, técnologo em redes de computadores, consultor independente de acústica em edificações, músico, blogueiro e fundador do Portal Acústica.

Eric Brandão

Professor do curso de Engenharia Acústica da Universidade Federal de Santa Maria desde 2011. O curso é a primeira graduação em Engenharia Acústica no Brasil. Leciona Acústica de Salas, Eletroacústica e disciplinas relacionadas ao processamento de sinais. Eric Brandão é formado em Engenharia Elétrica e possui doutorado em Acústica e Vibrações pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina. Além de acústica de salas, o autor pesquisa sobre caracterização de absorvedores acústicos e modelagem de transdutores (microfones e alto-falantes).

Clique aqui e faça sua inscrição no webinar “Materiais acústicos para acústica de salas“. Aproveite!

Tempo de reverberação: medição de maneira simples

Aqui no Portal Acústica aproximamos você dos melhores profissionais da área de acústica no Brasil. Alavanque sua  carreira com o que existe de mais moderno e prático no mercado e aprenda no seu ritmo, com acesso a todas as ferramentas. Desejamos que você desenvolva aquele diferencial que sempre quis.

No post de hoje explicaremos uma forma simples de medição do tempo de reverberação. Clique no link para ler mais sobre o assunto nesse outro artigo.

No vídeo a seguir explicamos como gerar mais conforto acústico em escritórios, auditórios, igrejas em diversos outros ambientes. Veja:

Utilizando uma forma simples de medir o tempo de reverberação, com um balão e um sonômetro, pode-se identificar a curva de decaimento sonoro do ambiente. A partir disso, basta ajustar o layout e selecionar os materiais acústicos necessários para atingir o conforto desejado. Existem normas brasileiras que definem o tempo de reverberação ideal para cada tipo de ambiente. A decisão dos materiais acústicos deve levar em conta o preço, absorção proporcionada, área de cobertura e estética. Essa decisão é muitas vezes feita pelo arquiteto com o auxílio do Engenheiro Acústico. Só assim para criar uma sensação acústica confortável no ambiente e garantir a satisfação do arquiteto e do cliente.

Gostou do vídeo? Então compartilhe com os seus amigos esse post! Se tiver alguma pergunta, basta deixar nos comentários aqui abaixo para levantar uma boa discussão.

Quer saber mais sobre acústica e arquitetura? Veja o webinar, clicando na figura abaixo.

capa_webinar01

Webinar: Sistemas de áudio para igrejas, casas de shows e museus

Ao longo dos meses de Abril e Maio o Portal Acústica fará uma série de webinars sobre o mercado de arquitetura e engenharia acústica no Brasil. Fique por dentro dos assuntos mais atuais no momento e amplie o seu network ao dialogar com profissionais referência na área.

O primeiro webinar dessa série terá o tema “Projeto de sistemas de áudio para igrejas, casas de shows e museus” e contará com a participação do Eng. José Dionísio Neto, Diretor Técnico da Audium, e do MEng. Pablo Serrano, especialista em soluções acústicas.

Faça sua inscrição agora clicando nesse link. O encontro será no dia 18 de Abril!

Conheça mais sobre os participantes

Pablo Serrano

Engenheiro Mecânico, doutorando em engenharia e meio ambiente, com foco em aeroacústica computacional pelo Institute of Sound and Vibrations Research, UK, mestre em engenharia mecânica com ênfase em aeroacústica experimental, MBA em gerenciamento de projetos, técnologo em redes de computadores, consultor independente de acústica em edificações, músico, blogueiro e fundador do Portal Acústica.

José Dionísio Neto

Diretor Técnico na Audium, Neto é graduado em Engenharia Elétrica com ênfase em Eletrônica e Telecomunicações pelo Instituto Nacional de Telecomunicações – Santa Rita do Sapucaí/MG. Com diversos cursos de especialização no Brasil e no exterior, foi responsável pelo desenvolvimento do projeto de áudio dos seguintes empreendimentos: Museu do amanhã, Museu do Futebol, Shopping Rio Mar de Recife, Teatro do Shopping Rio Mar de Fortaleza, Hotel Fasano Salvador e Igreja Batista de Vilas. É também membro da AES (Audio Engineering Society) nos Estados Unidos.

 

capa_webinar03_03

Qual será o assunto desse webinar?

  • Sistemas de áudio
    O comportamento do mercado brasileiro e as principais tendências em equipamentos e tecnologia para áudio e sonorização.
  • Tipos de projetos
    Falaremos sobre a estrutura de um projeto eletroacústico e suas variações de acordo com o ambiente trabalhado.
  • Requisitos e critérios
    Saiba o que levar em consideração ao projetar uma igreja, uma casa de show e um museu.

Clique aqui e faça sua inscrição no webinar “Projeto de sistemas de áudio para igrejas,
casas de shows e museus“. Aproveite!

Webinar: A arquitetura como forma de expressão sonora

Ao longo dos próximos meses o Portal Acústica fará uma série de webinars sobre o mercado de arquitetura e engenharia acústica no Brasil. Fique por dentro dos assuntos mais atuais no momento e amplie o seu network ao dialogar com profissionais referência na área.

O primeiro webinar dessa série terá o tema “A arquitetura como forma de expressão sonora” e contará com a participação da Arq. Débora Barretto, Diretora da Audium, e do MEng. Pablo Serrano, especialista em soluções acústicas.

Faça sua inscrição agora clicando nesse link. O encontro será no dia 11 de Abril!

Conheça mais sobre os nossos convidados

Débora Barretto

Arquiteta, Diretora da Audium – empresa especializada em projetos e consultorias de áudio, acústica e iluminação, Especialista em acústica nas construções pela UPM/Espanha, Mestre em engenharia ambiental Urbana na área de Poluição Sonora, Pós-graduada em metodologia do ensino superior com ênfase em novas tecnologias, Professora de arquitetura, Coordenadora de curso de pós-graduação em conforto ambiental e sustentabilidade, Conselheira do CAU/BA, Membro de comitês técnicos da ABNT, Vice presidente da SOBRAC e Conselheira fundadora da ProAcústica, Palestrante profissional, Possui 20 anos de experiência em desenvolvimento de soluções acústicas com atuação em todo mercado nacional.

Pablo Serrano

Engenheiro Mecânico, doutorando em engenharia e meio ambiente, com foco em aeroacústica computacional pelo Institute of Sound and Vibrations Research, UK, mestre em engenharia mecânica com ênfase em aeroacústica experimental, MBA em gerenciamento de projetos, técnologo em redes de computadores, consultor independente de acústica em edificações, músico, blogueiro e fundador do Portal Acústica.

capa_webinar01

Quais serão os assuntos abordados?

  • Acústica arquitetônica
    Quais as possibilidades para projetos nessa área?
  • Principais tendências
    O que o mercado pode esperar para os próximos anos, mudanças em normas e muito mais.
  • Atualização constante
    De que forma estudantes e recém formados podem se manter atualizados com as inovações do mercado? A universidade forma profissionais adaptados à essa nova realidade?

Clique aqui e faça sua inscrição no webinar “A arquitetura como forma de expressão sonora”. Aproveite!

Arte + Tecnologia = Emoção em salas de concertos

Após um magnífico evento de carnaval, no dia seguinte estava me sentindo realizado com tudo que estava acontecendo na minha vida. Mas ao assistir um vídeo tudo mudou… Fiquei pensando, como as palavras de um artigo de negócios me fizeram chorar. Como a emoção me pegou derramando lágrimas e me colocando em um estado de paz logo após?

Eram lágrimas de beleza, por ouvir uma música orquestrada e composta a partir de um algoritmo que processou as palavras do artigo por inteligência artificial. Essas palavras criaram padrões matemáticos transformados em notas musicais. Essas notas passaram nas mãos de um compositor, e esse maestro colocou o toque humano. Posteriormente, a música e as palavras passaram pelas mãos de artistas de dados, que criaram animações complexas a partir da tecnologia. Balcony

Esse complexo processo de transformação e de interação profu nda entre humanos e computadores nos faz pensar onde estão as fronteiras entre a arte e a tecnologia. Como as inovações e disrupções devem ser galopadas por nós usando modelos emergentes e intangíveis? O botão de play não é mais como antigamente, grande, protuberante e físico. Se quisermos podemos simplesmente dar um sinal ou tocar levemente para inicial algo. Somos mais discretos e sensíveis atualmente, mas ao mesmo tempo podemos ser chamativos e sociais ao se publicizar na rede.

Você deve estar se pensando, o que esse assunto tem a ver com acústica? Bom, eu também pensaria assim, mas depois de sentir cada nota tocar a minha alma, eu pensei que a audição pode causar lágrimas e emocionar. O som é vibração, é conexão entre pessoas, é algo que nos permite viajar no inconsciente. Por isso que o estudo do som é tão mágico. Ele se utiliza do meio para rapidamente contar a história entre dois pontos do espaço em intensidade, tonalidade e ritmo. A intensidade é o que causa a sensação. A harmonia é a combinação de diversas tonalidades que causa a coloração. E o ritmo é o que move e mantêm.Onda
Para manter todos esses elementos em sua originalidade, os materiais acústicos da sala de concertos devem ser criteriosamente escolhidos. A acústica de auditórios de menor porte também deve ser estudada em fase de projeto. Somente após avaliados os efeitos dos materiais acústicos é que pode garantir qualidade sonora.

Veja o vídeo incrível que foi lançado no museu do Louvre, na França. O projeto se chama “Symphonologie, The music of business”. Vou deixar dois links, um que explica o processo de criação (em inglês), e outro que apresenta o primeiro ato deste impactante concerto que me arrancou água dos olhos.

Veja os videos nos links abaixo:

https://youtu.be/Xf3ZDK3N5BA

https://youtu.be/zYfCMqSaMR8

Após assistir esse concerto, por favor me diga o que achou e se você se identificou como eu me identifiquei. Somos feitos de carne e osso, e por mais que a tecnologia esteja nos levando para outros caminhos, a interação física, táctil, visual e sonora, sempre será o que nos torna humanos e não máquinas.

Se você deseja saber mais sobre acústica em salas de concertos, salas de música, auditórios e outros espaços físicos, entre em contato. Seria um prazer permitir a você se emocionar como nós nos emocionamos com o som…

Pablo Serrano

Quem não ouve não aprende: acústica no aprendizado

Quando pensamos em sala de aula, normalmente não imaginamos o quanto é importante considerar a acústica no aprendizado de todas as pessoas. Mas o que aconteceria se um aluno não conseguisse aprender devido ao não entendimento do que o professor fala? Parece algo inconcebível não? Nem tanto!

Nossa linguagem é composta de vogais e consoantes. As vogais são os sons com maior energia e que permite a fluidez da fala. As consoantes, entretanto, são os sons que permitem a distinção das palavras. Já pensou na diferença entre “mala”, “fala”, “vala” e “bala”? A sonoridade destas palavras é bastante parecida, mas o que faz com que consigamos distinguir uma da outra é a primeira consoante. E se uma sala possuir um desempenho acústico que mascare, ou melhor, não permita entender o som desta consoante? O que iria acontecer? Imagine um aluno que está aprendendo a escrever, e que ele escreve baseado naquilo que ele ouve…

Sabemos que nossa audição abrange uma faixa de frequências que conseguimos ouvir. A faixa de audição média de um ser humano varia entre 20Hz e 20.000Hz. Quanto menor esse número, mais grave é a frequência. Quanto maior, mais agudo. Em nossa linguagem, as vogais estão na faixa de frequência mais grave chegando nas médias frequências, em torno de 200Hz a mais ou menos 1000Hz. As consoantes estão na faixa de frequência dos agudos, em torno de 2000Hz a 5000Hz. Mas como projetar uma sala de aula que auxilie no aprendizado?

Um dos assuntos que se estuda em acústica no aprendizado é a inteligibilidade da fala. Uma das maneiras de se medir a inteligibilidade da fala é medir a quantidade de perda de consoantes. Como é a consoante que determina a diferença entre uma ou outra palavra, se uma pessoa não consegue entender uma consoante, ela perde aquela palavra. Dentro de uma frase, o cérebro pode tentar entender o contexto e predizer a palavra perdida, mas além de um gasto maior de energia, existem situações em que isso pode dar muito errado… Acho que todos nós já brincamos de telefone sem fio, e rimos no final da brincadeira certo? É justamente isso!

Uma outra maneira de medir a inteligibilidade é medir um parâmetro chamado STI – Speech Transmission Index ou Índice de Transmissão da Fala. Esse parâmetro é literalmente medido com um alto-falante que simula uma boca, possui a mesma direcionalidade e faixa de frequência emitida pela fala de uma pessoa. O parâmetro STI é diretamente influenciado pelo ruído já presente no ambiente e pelo tempo de reverberação. Vamos entender um pouco mais sobre isso.

O tempo de reverberação, como já comentado em um post anterior pelo Eng. Pablo Serrano, é o tempo que o som leva para se tornar inaudível após uma fonte sonora ser interrompida. Se você for numa igreja e falar rapidamente a letra “a” o tempo de reverberação é o tempo que o som leva para você deixar de ouvir aquele “a” que você emitiu. Claro que uma sala de aula não tem o mesmo tempo de reverberação de uma igreja, mas algumas estão quase lá. O problema do tempo de reverberação alto em uma sala de aula é que as vogais possuem muito mais energia do que as consoantes. Se possuem mais energia, significa que ouvimos as vogais com maior volume. Se a sala tem um tempo de reverberação alto o suficiente para que o som de uma vogal fique por alguns instantes ecoando na sala, e logo em seguida falamos um consoante que possui energia menor que a vogal emitida, um fenômeno acústico pode acontecer: o de mascaramento sonoro. Se a energia sonora da vogal for grande o suficiente, devido ao prolongamento causado pela reverberação da sala, a consoante seguinte pode ser mascarada (sobreposta) pela vogal. E como já vimos, se perdemos uma consoante, perdemos parte da palavra, se não ela toda.

acústica no aprendizado

No caso do ruído, o mesmo pode acontecer. Se um ruído presente na sala de aula, como um ventilador ligado, ou o ruído dos carros na rua, ou mais comum ainda em escolas, o ruído da sala de aula vizinha ou do pátio da escola, for alto o suficiente, ele pode também mascarar o som de determinadas consoantes e até mesmo algumas vogais. Se entendemos apenas parte do que é falado, aprendemos apenas parte do que é ensinado. O ruído é muito mais pernicioso do que apenas atrapalhar o entendimento das palavras. Quando expostos ao ruído, as pessoas tendem a se dispersar, perder a concentração, se tornar mais irritadas e no caso do professor, para compensar o ruído externo, seu cérebro automaticamente o incentiva a falar mais alto. Isso pode causar fadiga, stress e problemas nas cordas vocais chegando a casos extremos de problemas cardíacos e psicológicos.

Disso podemos tirar que o projeto acústico adequado de salas de aula deve contemplar um baixo tempo de reverberação e baixo nível de ruído de fundo. Simples não? Nem tanto. Em certos países como Estados Unidos, Inglaterra, países Nórdicos, Nova Zelândia, entre outros, há diretivas e normas para o projeto acústico adequado de escolas. A Diretiva BB93 da Inglaterra por exemplo, além de fornecer as diretrizes para adequação acústica de cada ambiente escolar, como sala de aula, corredores, salas de música, bibliotecas, etc, fornece também quais sistemas construtivos atendem o desejado desempenho.

E o Brasil? Infelizmente no Brasil não há lei, diretiva ou norma que direcione o projeto acústico de escolas. A NBR10152 propõe o valor do nível máximo de ruído de fundo em salas de aula e bibliotecas. Mas a norma não é lei e portanto nem mesmo o estado se preocupa em cumpri-la. No caso do tempo de reverberação, a NBR12179 não estabelece claramente um valor recomendado para salas de aula. Recentemente, no Estado de São Paulo, a FDE – Fundação para o Desenvolvimento da Educação, lançou uma série de catálogos técnicos com recomendações a respeito do projeto arquitetônico de escolas públicas. Entretanto, as recomendações referentes à acústica são superficiais, longe da especificidade apontada por normas como a ANSI 12.60 nos Estados Unidos ou mesmo a BB93 Inglesa.

As pesquisas mostram que no Brasil, as salas de aulas públicas possuem os dois problemas citados, alto ruído de fundo e alto tempo de reverberação. E é por isso que as pesquisas nesta área no Brasil são de fundamental importância. Através das pesquisas e das publicações, estamos constantemente avaliando escolas, apontando os acertos e levantando os erros. E claro, fornecendo ou indicando as soluções. O processo é lento, entretanto a sociedade cada vez mais toma conhecimento do problema e se predispõe a participar, a cobrar, a reivindicar soluções.

Um grande abraço a todos e continuem participando e comentando no blog!

Alexandre Maiorino é formado em música pela Unicamp, mestre em engenharia civil pela FEC – Unicamp na área de acústica e está concluindo seu doutorado em Arquitetura pela FEC – Unicamp em acústica. Trabalha há 30 anos como engenheiro de áudio, com especialidade em gravação de música erudita. Tem prestado consultoria acústica pelos últimos 8 anos. Realiza pesquisas na área de acústica de salas, acústica no aprendizado escolar e acústica ambiental.

 

Crédito da imagem: Alda Cavalcante

Confira o webinar exclusivo do Portal Acústica! Se inscreva GRÁTIS agora aqui.

capa_webinar01

Tecnologia sonora 3D – inovação binaural

Constantemente somos envoltos pelos sons de tudo em nossa volta. Entretanto, para ter uma experiência virtual, precisamos recorrer a um sistema de som com diversas caixas de som que tentam recriar essa sensação de se sentir dentro do ambiente que não se está. Isso acontece em cinemas e home cinemas com sistemas 5.1 ou 7.1, nos quais o sistema fica por vezes bastante caro para o consumidor residencial e envolve toda uma instalação e posicionamento das caixas. Mas ainda assim não temos uma sensação completa, porque com esses sistemas não conseguimos sentir a proximidade de um sussuro na ponta do ouvido.

Um estudo interessante que permite ouvir os sons de maneira completamente imersiva é chamada de binaural, ou seja, é uma sensação que somente quem tem as duas orelhas saudáveis é capaz de sentir. A forma das nossas orelhas, e a diferença de tempo de chegada do som em ambas, nos permite identificar de onde vem o som. Com isso temos um senso de direção que pode nos proteger de um acidente, por exemplo. Nossas orelhas também nos permitem ter esse senso de espacialidade e de localização da fonte sonora. Um exemplo bacana de som binaural, que deve ser ouvido com um fone de ouvido, é esse aqui, o chamado Virtual Barber Shop. Nesse áudio uma pessoa corta o seu cabelo e você tem a nítida impressão de que está realmente sentado na cadeira do barbeiro.

A tecnologia de virtualização 3D criada por Marcos Simon e o Prof. Filippo Fazi da Universidade de Southampton também nos permite ter essa sensação através de uma gravação que não utiliza técnicas binaurais especiais. Eles conseguiram manipular a fase das ondas sonoras e criar focos sonoros na entrada do canal auditivo. Utilizam então, feixes sonoros que são direcionados conforme a posição da cabeça de até 2 pessoas. As posições são monitoradas usando um sistema kinectic com uma câmera, similar à aquela dos video games mais avançados que capturam o seu movimento. A expectativa é que esse sistema binaural, que se vale de somente uma barra com alguns alto-falantes, seja incorporada em equipamentos de TV, ou video game em breve. Com isso, ao jogar um jogo de zumbis, você pode ser surpreendido com um grunido na sua nuca de um zumbi que vem de trás! Imagina o susto…

Esse projeto já passou pela primeira etapa de desenvolvimento de produto que é a validação da tecnologia. Agora os pesquisadores estão buscando fundos e parcerias para o sistema conversar com outras patentes como a Dolbi. Com isso será possível intercambiar diversos formatos de áudio e transformá-los em binaurais, para ter a possibilidade de aplicação em diversos produtos.

Veja o video abaixo (em inglês) explicando um pouco do projeto. E se você quiser saber mais sobre outras tecnologias e ferramentas utilizadas em acústica, acesse gratuitamente o e-book clicando aqui.

 

Um pouco mais sobre o assunto pode ser conferido neste post muito bom da incubadora Future Worlds, clicando aqui.

Gostou? Comente e faça parte da nossa comunidade do Facebook. Abraços!