Medição acústica em um anfiteatro

Realizar a medição acústica de uma sala de aula em uma escola, ou de um anfiteatro em uma universidade,  é uma prática bastante importante para assegurar conforto acústico, reduzir a fadiga dos professores e melhorar os níveis de aprendizado dos alunos.

Estudos recentes mostram que um ambiente mais silencioso é primordial para o ensino de jovens, especialmente crianças, devido a maior propensão delas ao mascaramento de informações. Isso significa que crianças não usam o seu julgamento e pré conhecimento sobre os assuntos ministrados em sala de aula para formar os conceitos. Então, as crianças estão mais sucetíveis a absorver a informação de maneira errada, caso estejam na presença de sons que não são gerados pelo educador. E realmente é triste ver a realidade de diversas escolas públicas do Brasil com ambientes muito mal preparados para o ensino, com muito ruído de fundo (externo ou interno e que não é gerado pelo educador).

O vídeo a seguir mostra como foi realizada a medição de resposta impulsiva num dos anfiteatros da Universidade de Southampton (UK), onde utilizamos dois diferentes equipamentos para gravar o som e realizar um pós processamento dos dados. Veja o procedimento em:

Utilizando uma fonte sonora, microfones e um sonômetro, os especialistas puderam realizar uma medição acústica do tempo de reverberação (artigo comentado no video) do ambiente ao avaliar o decaimento do som no ambiente ao utilizar um sinal de varredura. Os dados das gravações da resposta impulsiva da sala podem ser usados para realizar operações de convolução, e obter em um sistema de áudio uma reprodução de como qualquer som soaria se estivesse sendo executado neste anfiteatro. Em outras palavras, essas medições permitem criar um modelo tridimensional da sala que represente a acústica do anfiteatro naquele ponto de audição, ao colocar uma fonte sonora qualquer naquele ponto que a caixa de som reproduziu a varredura. Isso é incrível, visto que podemos recriar a sensação de estar fisicamente naquela sala. Isso é muito útil ao projetar esse tipo de ambiente, de forma que possamos prever a acústica da sala mesmo sem ela existir.

Digamos que queremos reproduzir a mesma planta, ou desenho arquitetônico em outro prédio. Podemos verificar as deficiências deste anfiteatro existente, e gerar um modelo acústico computadorizado que permita otimizar a sala. Assim, o projeto vai sempre se aperfeiçoando. Veja que isso é extremamente útil, para reduzir custos e garantir a qualidade em projetos que sejam replicáveis.

Para melhorar o conforto acústico, podem ser estudadas a alteração dos materiais de revestimento do teto, piso e móveis, por exemplo. Isso interfere principalmente no coeficiente de absorção e difusão médio da sala. E de maneira geral podemos com isso controlar o tempo de reverberação, que é uma métrica essencial. Essa métrica influencia parâmetros mais complexos de qualidade ligados à inteligibilidade da palavra falada. Temos um artigo sobre esse tema inclusive. Clique aqui para ler caso tenha interesse.

Esse vídeo sobre medição de resposta impulsiva em um anfiteatro foi útil para você? Então compartilhe com seus amigos e colegas nas suas redes sociais. Deixa também seu comentário abaixo para sabermos o seu feedback!

Quer saber um pouco mais sobre assuntos mais técnicos? Que tal assistir a um seminário online sobre como controlar a vibração em edificações e com isso evitar o ruído de fundo que tanto atrapalha o aprendizado nas escolas e o sono em nossas casas?

Blog Chamada Webinar

Clique e se inscreva no webinar gratuito.

Software de modelagem acústica gratuito!

Passando pelos corredores da feira de negócios, dentro do Congresso Internacional de Acústica e Vibrações (ICSV24) em Londres, me deparei com um stand de uma empresa de softwares para acústica que me chamou a atenção. Eu já tinha ouvido falar da ferramenta deles, o iNoise, que prometia ser gratuita para consultores e engenheiros em início de carreira. Então decidi conversar e tirar as minhas dúvidas. Para a minha surpresa, eles me deram uma licença que permite colocar a minha própria marca nos mapas gerados em uma interface que eu já estou acostumado, visto que são os mesmos desenvolvedores do Predictor Lima.

Vamos ouvir um pouco sobre o iNoise, um software que no Brasil é oferecido pela 3R Brasil, uma empresa do Rio de Janeiro que oferece tecnologia de ponta em termos de monitoramento de ruído, modelagem e controle de ruído ocupacional. Podes habilitar as legendas em Português caso necessário.

Como dito no video, o iNoise é oferecido em 3 tipos distintos de licenças, sendo uma gratuita, outra profissional e a terceira para empresas. Cada modalidade de licença tem suas limitações em termos da quantidade de prédios e fontes sonoras que podem ser modeladas. A aquisição pode ser realizada no site do fornecedor fazendo o download do iNoise, que é rapidamente instalado. A configuração é simples e não requer suporte. Entretanto, se você ainda não tem familiaridade com esse tipo de ferramenta, talvez seja interessante realizar um curso que abranja as normativas utilizadas.

As normas ISO 9613 de controle de qualidade em termos do método de cálculo de atenuação sonora em ambientes externos, e a norma ISO 1996 que descreve os procedimentos de medição e avaliação de ruído ambiental são atendidas no iNoise. Em termos de ruído rodoviário, podemos citar a norma ISO 9613-2 e a RLS90 que estabelecem a categoria dos veículos em termos do modelo de cálculo de potência sonora em fontes lineares e equivalentes utilizado. Entretanto, se outras fontes de ruído precisarem ser modeladas, como por exemplo fazendas eólicas e fontes portuárias ou industriais, o software também permite a inclusão nos modelos. Lembrando que modelos são representações ideais de fenômenos físicos ou de equipamentos, de forma que eles contemplam uma faixa de incerteza devido às condições climáticas, épocas do ano, temperatura, ventos e outras variáveis que influenciam o comportamento do som. Assim como o furação IRMA que está varrendo as Bahamas, Cuba e Flórida, veja há certa diferença entre os modelos preditivos durante uma semana de análise. Quanto maior o problema, mais imprecisão o modelo terá. A Teoria do Caos por vezes é utilizada para gerar previsões de grande porte, mas para problemas acústicos na Europa, já existem muitas medições que permitem ter modelos mais fiéis com cerca de 4 dB de variabilidade.

Para se ter uma ideia em quanto é importante prever o ruído, veja o caso do festival Na Praia que teve uma multa emitida pelo IBRAM de R$15.000,00 por perturbação do sossego. A empresa 3R Brasil foi contatada para resolver o problema e atuou de forma ativa no controle do ruído do festival. O controlador de ruído para eventos altamente intermitentes e esporádicos se mostrou como uma ótima solução. Entretanto, para ambientes industriais o ruído pode ser fator determinante na implantação de um parque industrial, um estaleiro, ou outra atividade que também tenha grande impacto ambiental.

Na minha visão, os modelos acústicos usados no Brasil ainda confiam muito nos trabalhos realizados no exterior (Europa e EUA), sendo que nossos carros, nossos aviões, nossos caminhões e nossas indústrias são diferentes das dos europeus ou norte americanos. Precisamos de mais medições, mais estudos, mais pesquisa, mais modelos e mais softwares com a nossa assinatura tupiniquim. Só assim teremos mais possibilidade de gerar valor aos nossos clientes, ao ser mais precisos em nossos modelos. Mas por agora, podemos começar com o que nos aparece na frente, sem custo, e que permite ao menos começarmos a trabalhar sem incorrer em pesados investimentos, especialmente para quem está começando.

Se você tem interesse em saber mais sobre Ruído Industrial e como se tornar um profissional em modelagem de ruído, inscreva-se agora no curso que estamos promovendo ao clicar aqui!

As 9 melhores empresas de produtos acústicos do Brasil – Construção Civil

O Medo e o poder da indicação

A primeira coisa que diversas pessoas pensam quando vão fazer uma grande mudança em suas vidas é: será que vai dar certo? E é natural sentir esse medo ao tomar uma decisão. As escolhas podem ser as mais diversas, mas o valor percebido com a mudança é especialmente impactante na aquisição de produtos acústicos ou serviço de consultoria acústica. Precisamos nos ver naquela situação futura para sentir confiança na pessoa que nos vende e realmente realizar a compra. A confiança é difícil de se adquirir, e nos dias de hoje com excesso de informação, o que procuramos são indicações de pessoas e fontes confiáveis. Aposto que você checa os reviews do produto ao comprar na Amazon, ou em qualquer outro e-commerce, certo? Além disso, você pergunta para seus amigos, familiares ou colegas de profissão antes de adquirir algum bem ou contratar um serviço especializado. Todos pesquisamos em diversos canais com o objetivo de pegar o máximo de informação antes de ir à loja ou entrar em contato com o comercial. Quando falamos em produtos acústicos, acreditamos que os clientes façam o mesmo, seja para compra direta ou ainda para especificação ao cliente final. As opções são muitas e no começo testamos muitas delas até achar às que nos trazem maior benefício.

Experiências pessoais

Com base na experiência pessoal, tanto de especificação e uso, é que resolvi redigir esse pequeno artigo. Não para privilegiar alguns em despeito a outros, mas para informar aos potenciais clientes, demais consultores e arquitetos sobre algumas experiências que me trouxeram bons resultados. Sendo que o meu critério foi trazer empresas que estão presentes em feiras, eventos, nos nossos escritórios e com forte atuação junto aos especificadores. Então dividi o artigo nas principais partes de uma construção civil, ou seja (piso, paredes, teto). Não vou colocar logotipos das empresas para evitar questões legais de uso das marcas e não vou falar de empresas das quais não provei qualquer produto ou serviço. Sendo assim, não limite a sua pesquisa de mercado a essa lista, mas por favor deixe um comentário caso descubra novas empresas e produtos acústicos que são referência para você e que te proporcionaram uma experiência que valham a pena ser compartilha.

Empresas com soluções acústicas para piso

Todo projeto acústico e de construção civil começa pelo piso. Esse elemento é muito importante, especialmente no que tange a transmissão das vibrações. Essas vibrações podem vir de grandes veículos nas ruas, ou do salto alto de uma pessoa caminhando no andar de cima. Veja que por vezes o objetivo é evitar que a vibração entre, ou que ela saia. Vejamos algumas empresas que trabalham com isso:

Aubicon – www.aubicon.com.br
Essa empresa apresenta soluções em mantas acústicas a partir de materiais resilientes e reciclados, auxiliando no reuso de rejeitos e contribuindo para melhoria acústica. As soluções em pisos emborrachados são aplicáveis a academia de ginástica, playground, estúdio de pilates, crossfit, peso livre e quadras esportivas. Em contrapiso flutuante as soluções são aplicáveis em apartamento, estúdio de gravação, estúdio de rádio/tv, sala de geradores, sala de equipamentos de ar condicionado. Mas existem outras mantas diversas que são aplicadas para minimizar o ruído em tubulações, sob revestimentos, ou aparentes não se limitando a escritórios e hospitais. Eu particularmente já especifiquei alguns produtos acústicos deles para academias e estúdios. Atendimento técnico e que auxiliou a tomar decisões mais acertadas junto aos meus clientes.

Vibrasom – www.vibrasom.ind.br
Essa empresa atua em uma linha extensa de produtos acústicos e com um e-commerce, mas especificamente em relação ao piso eles oferecem um produto interessante, os são berços acústicos. Eles evitam o contato direto do piso de compensado com a laje, através de caibros apoiados neste berço resiliente, reduzindo a transmissão estrutural da vibração. Já comprei e especifiquei diversos produtos acústicos deles, inclusive capturas de graves, portas acústicas e revestimentos de absorção que podem ser de diversas cores e categorias de absorção sonora. Enfim, praticidade na compra e atendimento adequado, com prazo e qualidade esperados.

Acital – www.acital.com.br
Essa empresa de SC vem se especializando em pisos acústicos, apesar de oferecer diversas outras soluções mais voltadas para o mercado industrial, como cabines e atenuadores. Eles recentemente fizeram uma parceria com a Getzner que é especializada em isolamento de vibração de trens, construção e equipamentos industriais. Eu particularmente instalei as mantas de poliéster e de polietileno expandido, que na minha visão são boas opções para apartamentos que não possuam requisitos especiais como estúdios. Mas para atender essas demandas mais específicas, eles oferecem os produtos acústicos da Getzner como mantas com diferentes densidades e aplicações como em piscinas. Sempre fui atendido em minhas demandas, o que me de satisfeito.

Empresas com soluções acústica para paredes

Isover Saint-Gobain – www.isover.com.br
Essa empresa atua com diversas soluções, desde piso, paredes e forros, mas vou comentar somente sobre as soluções de parede. A linha em lã mineral de vidro que pode ser colocada em sistemas de drywall, light steel frame e alvenaria, sendo um dos produtos acústicos mais conhecidos. Entretanto, eles atuam com revestimentos em véu de vidro e lã de vidro aglomerada. Esses revestimentos são aplicáveis em auditórios, estúdios, residências e outros ambientes, sendo seguros com relação à propagação de chamas, o que é um requisito muito importante. Já tive a experiência de especificar e trabalhar com as lãs e com os revestimentos. Profissionais e prestativos, os atendentes e especialistas sempre auxiliam nas escolhas.

Ambi Brasil – www.ambibrasil.com.br
Essa empresa produz revestimentos em MDF, revestimentos porosos e divisórias acústicas em vidro para empreendimentos de alto padrão. As possibilidades de fabricação são diversas o que confere alto poder de personalização do projeto arquitetônico e acústico com essas soluções. Os produtos acústicos são geralmente aplicadas mas não se limitam a igrejas, auditórios, salas de conferência, teatros, museus, escritórios. Tive a experiência de ter treinamentos, especificar, comercializar, instalar e conhecer toda a equipe deles. Atendimento excepcional!

Atenua Som – www.atenuasom.com.br
Essa empresa oferece soluções em aberturas, sejam janelas ou portas, para garantir o sossego de clientes residências, em sua maioria. As inovações em vidros insulados e tipos de abertura e vedação são marca registrada desta empresa preocupada com tecnologia e em estar. Apesar de produtos acústicos, a atenua som conta com um laboratório próprio e oferece serviços além de cursos para empresários e comunidade. Tive contato com a Universidade do Som e realizei a especificação dos produtos deles, que me chamaram muitotenção pela tecnologia.

Empresas com soluções acústicas para forros

OWA Sonex – www.owa.com.br
Essa empresa atua basicamente com forros minerais e placas acústicas para revestimento, além de forros e revestimentos em MDF e perfis metálicos. As famosas placas Sonex hoje em dia estão utilizando uma formulação especial incombustível que garantem a segurança em condições extremas de fogo. Elas se apresentam em forma de revestimento e em nuvens ou baffles. A linha de forros minerais tem ampla gama de absorção sonora e texturas. Tive a oportunidade de especificar e instalar diversas placas e revestimentos distintos para clientes como estúdios de TV/rádio, cinemas e home theaters. Mas as aplicações podem se expandir a supermercados, casas de shows, aeroportos e outros. Sempre tive ótimo atendimento por parte dos vendedores e da parte técnica.

Armstrong Ceilings – www.armstrong-brasil.com.br
Essa empresa trabalha com pisos e forros. Em especial forros minerais, forros e marquises. As soluções em forros metálicos e nuvens acústicas se destacam pelo extenso catálogo internacional e com diversas possibilidades. Essa é uma empresa presente em diversos países e que apresenta um portfólio extenso com possibilidades de aplicação de produtos acústicos conforme a especificação técnica. Tive a visita de representantes e ótimo atendimento para esclarecer dúvidas e selecionar soluções elegantes em termos arquitetônicos junto aos meus parceiros arquitetos.

Trisoft – www.trisoft.com.br
Essa empresa atua com uma ampla linha de produtos acústicos e têxteis. Para a construção civil as soluções são se limitam a forros, tendo as lãs de poliéster aplicadas em sistemas de drywall, forros modulares, em pisos de edifícios e coberturas. Gostaria de comentar sobre a possibilidade de se personalizar uma estampa em um painel de lã de poliéster (feito de garrafas PET) e poder utilizar como painel na parede ou como nuvem acústica. Em geral essa solução pode ser usada em restaurantes, cafés, shopping centers, entre outros locais. Lembrando que esse mesmo material pode ser um bom isolante termo acústico em formato de manta para coberturas industriais ou até comerciais ou residenciais. Tive boa experiência nas negociações e especificação dos produtos acústicos.

Conclusão

Existem diversas empresas que oferecem soluções acústicas no Brasil. Muitas delas oferecem serviços, mas trouxe aqui fornecedores de produtos para a construção civil, visando limitar a análise e trazer algumas experiências pessoais. Outra boa fonte de informação é a ProAcústica, que é a maior associação de empresas do ramo no Brasil. Se você for produtor de materiais acústicos, entre em contato e seja parceiro do Portal Acústica. Afinal as pessoas querem informações e boas indicações para fazer a escolha certa para os seus negócios, correto? Bom, deixe seu comentário e baixe nosso e-book que é um guia prático sobre acústica em edificações habitacionais.

Abraço e nos vemos do outro lado do Portal!

Ruído de veículos em grandes centros urbanos

O ruído de veículos pode ser uma verdadeira dor de cabeça para quem vive nos grandes centros urbanos do mundo. Seja num escritório de um prédio comercial ou num apartamento de um condomínio residencial, o ruído está em todo lugar. Hoje quando fui ao pilates a minha instrutora disse que não havia dormido direito por conta da conversa das vizinhas no sobrado de cima. Na hora observei a frustração dela e vi o quanto isso é realmente um problema para ela. Neste caso, os ruídos podem ser do vizinho de cima, mas o problema que você está enfrentando pode ser decorrente de outra fonte.

Se você mora em um grande centro urbano ou próximo a uma rodovia, sabe que as vezes é cansativo e estressante ficar com as janelas abertas. Nós técnicos e planejadores, temos que ter consciência disso e dizer que  é importante monitorar o comportamento acústico do ambiente, para garantir mais qualidade de vida e conforto para os cidadãos. E infelizmente a polícia e os orgãos fiscalizadores de poluição sonora são ineficazes, sendo somente um comprimido que tomamos nos dias em que não dá para aguentar a festa do vizinho.

Nesse vídeo, Pablo Serrano foi até o subúrbio de Londres para medir o ruído de veículos em uma região que mistura prédios comerciais e residenciais, veja:

Temos diversos tipos de ruído de veículos: rodoviário, metroviário, ferroviário, aeronáutico e outros. Em geral, temos que avaliá-los de forma independente e de acordo com a presença de cada tipo de fonte sonora encontrada em uma localidade. E o ruído de carros, por exemplo, é variável de acordo com a velocidade da via, tipo de asfalto, porte do carro, tipo de combustível (elétrico, gasolina, etc) e hora do dia. Em geral podemos modelar o ruído de uma rua ao ter uma estimativa do fluxo de veículos  por porte e horário de avaliação. Esse modelo pode ser simplificado e baseado na potência sonora média, podemos criar fontes sonoras lineares que representem a rodovia. Tais modelagens podem ser inseridas a mapas de ruído.

Certamente uma tendência em todas as grandes cidades, assim como São Paulo decretou, é a criação de mapas de ruídos para orientar a construção civil e reduzir o stress da população. O poder público terá agora muito mais condição de realizar melhorias e controlar as poluições sonoras. Esse é um projeto ambicioso e que contempla a colocação de diversos medidores de som em toda a cidade. Tais medidores ficam por horas, e as vezes diversos dias ligados, guardando informação. O melhor mesmo seria ter essa informação em tempo real, gerando um histórico massivo de dados. Mas, imagine, numa cidade como São Paulo, a quantidade de dados absurda que seria gerada durante a aquisições de dados. Imagine agora isso sendo guardado por anos, permitindo análises complexas de evolução da poluição sonora por bairro ou região. Falo mais sobre isso em um outro post que você pode conferir aqui.

Se tiveres alguma questão extra sobre ruído de veículos que não abordamos no vídeo, deixe aqui abaixo nos comentários! Será bem bacana continuar o diálogo.

Como medir ruídos ferroviários

Trens e metrôs são utilizados todos os dias para o transporte de passageiros no mundo todo. A expansão das malhas também provoca o aumento da construção de edifícios às margens desses espaços pois facilita a locomoção dos habitantes dessas localidades e, por consequência, dos ruídos ferroviários no ambiente.

Nesse tipo de situação, é fundamental que se faça um mapeamento da paisagem sonora do local. Com isso, sabe-se qual o nível de pressão sonora nas janelas de um apartamento, por exemplo.

No vídeo apresentado a seguir, Pablo Serrano faz uma avaliação de SELs, um tipo de medição de ruídos originados com a passagem dos trens, em um município próximo a Londres. Ele explica que a paisagem sonora muda de acordo com os tipos, quantidade de vagões e velocidade dos trens. Veja mais:

Ao criar um modelo computacional, contendo a paisagem sonora de um local, e identificados os níveis de ruídos ferroviários, podemos definir quais materiais utilizar na construção de um empreendimento imobiliário. A disposição das aberturas, localização de quartos e outros insights podem ocorrer ao ter um mapa de ruído que considere todas as fontes sonoras da região. Além disso, o ruído ferroviário é difícil de se calcular em somente um número em dB, por conta destas questões de fluxo, tamanho, velocidade e quantidade de vagões. Uma avaliação correta é fundamental para o sucesso e a qualidade da entrega final para os arquitetos e urbanistas. Os grandes escritórios de arquitetura de Londres sabem disso e não dispensam uma boa avaliação da paisagem sonora antes do empreendimento sair do papel.

Acompanhe o Portal Acústica e saiba tudo sobre o universo da engenharia e da arquitetura acústica. Deixe seus comentários abaixo!

Se você quer conhecer mais sobre o Portal Acústica e se comunicar com a nossa comunidade de profissionais e aspirantes, veja os webinares e interaja conosco. É só clicar aqui e se inscrever gratuitamente.

Tempo de reverberação: medição de maneira simples

Aqui no Portal Acústica aproximamos você dos melhores profissionais da área de acústica no Brasil. Alavanque sua  carreira com o que existe de mais moderno e prático no mercado e aprenda no seu ritmo, com acesso a todas as ferramentas. Desejamos que você desenvolva aquele diferencial que sempre quis.

No post de hoje explicaremos uma forma simples de medição do tempo de reverberação. Clique no link para ler mais sobre o assunto nesse outro artigo.

No vídeo a seguir explicamos como gerar mais conforto acústico em escritórios, auditórios, igrejas em diversos outros ambientes. Veja:

Utilizando uma forma simples de medir o tempo de reverberação, com um balão e um sonômetro, pode-se identificar a curva de decaimento sonoro do ambiente. A partir disso, basta ajustar o layout e selecionar os materiais acústicos necessários para atingir o conforto desejado. Existem normas brasileiras que definem o tempo de reverberação ideal para cada tipo de ambiente. A decisão dos materiais acústicos deve levar em conta o preço, absorção proporcionada, área de cobertura e estética. Essa decisão é muitas vezes feita pelo arquiteto com o auxílio do Engenheiro Acústico. Só assim para criar uma sensação acústica confortável no ambiente e garantir a satisfação do arquiteto e do cliente.

Gostou do vídeo? Então compartilhe com os seus amigos esse post! Se tiver alguma pergunta, basta deixar nos comentários aqui abaixo para levantar uma boa discussão.

Quer saber mais sobre acústica e arquitetura? Veja o webinar, clicando na figura abaixo.

capa_webinar01

Dicas práticas para portas acústicas

Essa semana me pediram umas dicas práticas de acústica, para tentar resolver alguns problemas de maneira prática, rápida e de baixo custo. Tudo que todo bom brasileiro adora! Bom, antes disso vale a pena alguns comentários sobre o que é gambiarra e o que não é. O que pode ser feito por conta própria e o que precisa de um especialista.

Quem está querendo montar um home studio, um home cinema, ou apenas uma sala de ensaio em casa é que está procurando desesperadamente por umas dicas de acústica. Digo isso porque eu mesmo já estive nesta situação, quando a cerca de 10 a 15 anos atrás eu tinha um quartinho na casa dos meus pais que era aos fundos, com um banheiro e muita inspiração saindo dele (pense o que quiser J). Naquela época eu tocava em diversas bandas e me metia de produtor dos colegas, gravando baixo, violão, voz, guitarra e também programando umas percussões, teclados e baterias eletrônicas. Na época gostava de gravar a voz no banheirinho porque tinha um reverb legal e pelo menos não pegava muito dos ruídos do computador e da minha cadeira.

Bom, uma gambiarra que todo mundo faz nessas ocasiões é colocar um monte de colchões na frente da porta, uns edredons nas janelas e colocar caixa de ovo nas paredes ou teto. Nunca fiz essas coisas, mas na época já sabia que isso não iria realmente adiantar quase de nada. Além de somente dificultar a passagem no quartinho estreito, e atrair baratas e ratos para o local. Mas meus amigos músicos tinham todos essas coisas nas paredes, e mesmo assim as mixagens deles ficavam tão ruins quanto as minhas. Eu tinha noção que somente com uma acústica boa conseguiria chegar em outro nível mais profissional. Naquele momento era o melhor que eu conseguiria com as ferramentas que tinha. Bom, mas vamos lá para as coisas que funcionam e outras que são mitos:

A porta, entrada do paraíso

Se você tem um local que deseja isolar o ruído, a primeira dica é investir em uma boa porta. E para isso ela tem que ter duas coisas fundamentais: ser pesada e não apresentar frestas. Então esquece de colocar um monte de caixa de ovo ou espuma sobre aquela sua porta de metal furadinha! Ou ainda, esqueça de colocar caixa de ovo nela a fresta de baixo passa um dedo. As duas coisas, peso e vedação, devem andar juntas! Se a sua porta não é maciça, não vais conseguir isolar um som de bateria nunca! A não ser que ela tenha um sistema complexo com várias camadas de material pesado e poroso alternados. Uma porta com pouco peso, por ser oca, nunca dará um desempenho razoável.

Trocou a porta ou já tem uma porta acústica descente? Beleza, agora é a hora de isolar bem as frestas. Para isso, existem sistemas que você compra para a soleira, outros que se compra para o batente e outros que podem ser instalados em baixo da porta.

soleira

Para a soleira, as vezes um tropeço é necessário para criar um batente embaixo, com uma borracha de vedação, ou ainda, existem sistemas automáticos que ao fechar liberam uma guilhotina com borrachas que tocam no chão e fazem a vedação.

vedaporta1

 

Existem diversos tipos e modelos, sendo alguns de colar, outros de parafusar e outros somente de encaixar em um friso. A recomendação é sempre comprar uma porta boa com o sistema de vedação pronto, ou ainda comprar cada elemento de vedação e ter um bom marceneiro para acertar a porta e o batente para você.

vedaporta2

 

Se você gosta de pegar nas ferramentas e fazer acontecer, legal! Mas tenha em mente que diversos ajustes são necessários. Por exemplo, colocar a dobradiça de maneira a não gerar folgas na pressão que deve ser feita na borracha, e ai vai…

vedalateral

 

Um abraço e conto com os teus comentários aqui no blog, ok? Temos comunidade no facebook, é só clicar aqui. E se aceitas um presente, baixe os nossos e-books gratuitos clicando aqui e escolhendo o seu na parte de Materiais Didáticos. Aproveite!

ACÚSTICA SUSTENTÁVEL – MITO OU REALIDADE?

A sustentabilidade ecológica é um dos desafios globais mais importantes que se colocam perante nós num futuro próximo. O ritmo galopante do desenvolvimento humano ameaça perigosamente a sustentabilidade do nosso planeta. Tendo em conta que é o único que temos, urge tomarmos providências o quanto antes para que não seja tarde demais. E essa mudança de paradigma começa em nossa casa, nos mais pequenos gestos que tomamos, num efeito-borboleta que parte do particular para o geral. Afinal, quando podemos dizer que um material é sustentável?

Além disso, a adoção de comportamentos e atitudes mais verdes tem que ser assumida em todas as áreas da nossa vida. E isso inclui a construção civil, em todas as suas vertentes. Incluindo a acústica de salas. E é aqui que nós entramos. Primeiro que tudo, há que se entender o que são matérias-prima ecológicas. Estas são produtos que podem ter origem artesanal ou industrial, que sejam não poluentes, atóxicos e benéficos para o meio ambiente e para a saúde do ser humano. Estes ecoprodutos contribuem para um menor impacto na natureza e, consequentemente, para um maior desenvolvimento sustentável.

Como é sabido, o isolamento acústico comporta vários benefícios para o ser humano. Este tem como objetivo diminuir ou eliminar a passagem de ruído do interior de um ambiente para os ambientes vizinhos, melhorando o conforto das pessoas. Mas também promovendo uma maior eficiência energética, visto que o isolamento acústico está fortemente ligado ao isolamento térmico. Gostaríamos de lembrar que o isolamento acústico se dá em ambos os sentidos, ao evitar também que o ruído externo (ou ambiental) entre em um local fechado. Já o tratamento acústico é a propriedade de conforto interno de um ambiente. Portanto, o auxiliando na compreensão das palavras e favorecendo a música. As características da sala como geometria e materiais acústicos podem evidenciar as sílabas e passagens do arranjo sonoro, melhorando a acústica da mesma.

Quando se opta por um material acústico isolante, convém avaliar a sua eficiência, a sua sustentabilidade e também a sua durabilidade, uma vez que depois de incorporado no edifício, deve permanecer o máximo de tempo sem necessidade de substituição ou manutenção. A tecnologia diz-nos que os melhores materiais isolantes acústicos são rígidos e pesados. Já os melhores em termos de absorção sonora em termos de tratamento acústico são os fibrosos ou porosos. E o mercado dos ecoprodutos acústicos disponibiliza várias opções, de acordo com as necessidades dos clientes e construtores.

Um dos mais populares, principalmente na europa, é o Aglomerado de Cortiça Expandida, que tem uma grande capacidade de absorção de ruído e é ideal para a correcção acústica de ambientes que exigem qualidade e requinte. É utilizado normalmente em salas de espectáculo, concertos ou reuniões, por exemplo. Em sistemas de isolamento acústico, no entanto, a cortiça pode ser combinada no miolo de um sistema tipo sanduiche com concreto de cada lado.

Mas não é o único material sustentável. A um nível mais específico, a Sound Soft da Aubicon, é uma manta acústica cem por centro reciclável, já que é produzida a partir das pneus reciclados ou de restos de borracha resultantes do seus próprio processo de produção. Essa é uma das mais utilizadas solução para isolamento acústico em pisos de edifícios de habitação, sendo que evita o ruído de impacto, ou o conhecido som do salto alto.

Também cem por cento sustentável é a manta acústica a partir de lã de poliester Isosoft Piso, ou Ecofiber floor, ou ainda a FlexSilenzio, que tanto pode ser utilizada em edifícios habitacionais como comerciais. Produzidas a partir de garrafas PET, este é um produto extremamente ecológico e igualmente eficiente, que pode ainda ser utilizado na cobertura das construções, promovendo igualmente o isolamento térmico. É de lembrar que uma garrafa PET demora mais de 100 anos para desaparecer na natureza, sendo assim reutilizada num produto extremamente amigo do ambiente. Um produto similar é a manta de polipropileno expandido que com apenas 2 mm se consegue atender a norma de desempenho de pisos em edificações residenciais.

Finalmente, nos últimos anos estudos têm indicado que a fibra de bananeira, assim como a fibra de coco, também promovem uma boa absorção acústica. Esta é uma solução tanto de eficaz quanto de econômica, com um baixo custo de produção no mercado brasileiro. Apesar deste processo já estar patenteado para ser utilizado em escala industrial, infelizmente ainda não é uma solução muito utilizada na construção civil.

fibracoco

A figura ilustra um material fabricado para estudo na UFPA a partir da fibra de coco acima, e uma amostra de material poroso em melamina abaixo.

Ao contrário do que muita gente pensa, é possível construir de forma sustentável, mantendo os mesmos níveis de qualidade, eficiência e preço. Aliás, valer-se de  ecoprodutos é uma tendência cada vez maior do mercado global, à medida que as pessoas vão tomando consciência da necessidade de adotarem um comportamento mais responsável perante o mundo. Ao optar pelo isolamento acústico ou tratamento acústico, opte sempre por um material que seja cem por cento sustentável e dê preferência pela matéria prima local. Uma vez que, além de contribuir para melhorar o meio ambiente, estará igualmente a reduzir os custos de sua obra. Isso ocorre ao reduzir o valor do frete e do combustível usado no transporte do material. Ao mesmo tempo que o material sustentável melhora a eficiência e apelo comercial da construção.

Gostou do artigo? Que tal saber mais sobre acústica para construção civil baixando um e-book gratuito? É só clicar aqui

Impressão 3D: Porque a prototipagem vai revolucionar a Acústica

Você deve estar se perguntando o que um método de fabricação, como a impressão 3D, tem a ver com Acústica. Tudo! A impressão 3D é um método de prototipagem rápida que pode, em cerca de algumas horas, produzir uma peça de geometria complexa e que tenha tolerâncias dimensionais razoáveis para uma aplicação acústica.

De que aplicações estamos falando e qual o estágio tecnológico da impressão 3D no Brasil?

Bom, no estudo realizado na Universidade de Southampton, estamos recriando painéis perfurados e microperfurados para obter as características de absorção sonora destas amostras. Quando os mesmos são combinados em uma estrutura que vai no revestimento interno de aeronaves, eles produzem atenuação das ondas sonoras produzidas pelas pás da turbina do avião. Isso com certeza é desejável principalmente para quem mora perto de aeroportos ou pega diversos voos durante o ano. Vamos te mostrar um pouco sobre esse estudo de tratamento acústico de turbinas de aeronaves e identificar outras aplicações muito interessantes e úteis para acústica arquitetônica, voltada à construção civil.

Um estudo paramétrico é realizado quando se deseja variar alguma propriedade de uma amostra e obter o efeito somente da propriedade variada. Por exemplo, em uma chapa perfurada, podemos variar o diâmetro dos furos e avaliar sua eficácia na atenuação viscosa do som nas paredes dos furos. Nesse estudo da University of Southampton utilizamos a impressão 3D para construir amostras metálicas e em ABS para ensaiar as propriedades acústicas em um tubo de impedância.

asc07-imagem-02

A impedância é uma propriedade que descreve como o som é absorvido ou refletido em um material, ou o conjunto de materiais, em uma certa configuração geométrica. Existem diversas técnicas de se medir esse parâmetro acústico, mas vamos nos ater apenas a esse conceito dessa forma por enquanto.

Os resultados preliminares deste estudo mostraram que a impressão 3D causa variações de até 10% para a espessura das amostras, e 2% quanto ao diâmetro dos furos da ordem de 1 mm. Os resultados na impedância se mostraram na ordem de 0.2 Rayls de variação ao longo da frequência em uma faixa de 600 a 3000 Hz em comparação com amostras do material realmente usado na aeronave e produzida em alumínio. Esses valores são extremamente incentivadores, levando em consideração as incertezas de medição. Esse estudo auxilia a melhorar na precisão de métodos semi-empíricos de determinação da impedância acústica de revestimentos em turbinas turbofan. Tendo o apoio da Rolls Royce e incentivo da Embraer, espera-se que esse estudo possa alavancar a produção deste tipo de material de revestimento pela indústria brasileira. Atualmente o Brasil importa tal tecnologia principalmente dos EUA, França, Reino Unido e Itália. Esse trabalho é financiado pelo CNPq e conta com parceria da UFSC, através do Laboratório de Vibrações e Acústica do departamento de engenharia mecânica.

Agora vamos às demais aplicações da impressão 3D. Por exemplo, os painéis absorsores, ou absorvedores de energia acústica, podem se apresentar de diversas formas. Cada um é projetado para atenuar certas faixas de frequência conforme o interesse da aplicação. Vejamos uma sala de concertos, na qual os painéis devem equilibrar todo o espectro de frequências. Já em uma casa de máquinas, pode ser necessário somente reduzir um componente tonal (uma estreita faixa de frequência). Agora em um apartamento que se deseja manter a vista do mar, pode ser usado um painel transparente com ranhuras que formam um ressonador. A impressão 3D favorece a prototipagem de um painel acústico ao permitir a produção de um elemento desses em escala reduzida ou de forma modular com baixos custos. Assim pode-se testar em laboratório sem ter a necessidade de gastar com a elaboração do produto final, que as vezes exige a criação de um molde ou usa um processo produtivo caro.

asc07-imagem-03

As tolerâncias geométricas são importantes nesse caso e a prototipagem 3D chegou ao Brazil com tolerâncias na faixa de 250µm o que as vezes não é o ideal e está aquém de outros processos produtivos de maior rigor. Entretanto, para aplicações de acústica arquitetônica e aplicados à construção civil essa tolerância é aceitável e só precisamos de mais incentivo e criatividade para realizar os cálculos e produzir novos produtos.

asc07-imagem-04

Outra aplicação interessante são blocos para a construção civil que oferecem tanto isolamento acústico (evitar que o som de fora entre e vice-versa), quanto absorção sonora para conforto interno. Veja que um bloco com as dimensões médias usadas na construção civil pode ser facilmente fabricado em uma impressora 3D de médias proporções. E ao passo que as tecnologias vão melhorando, teremos não só impressoras 3D em ABS ou em metal, mas também em cimento, silício, vidro, e outros que se possa imaginar e viabilizar.

asc07-imagem-05

Um link interessante de um projeto nesse sentido é esse aqui, no qual foi desenvolvida uma impressora 3D gigante para construir casas. Repare nos espaçamentos de ar entre paredes que auxiliam o isolamento acústico. Entretanto um especialista em Cálculo Estrutural e em Acústica dirá se o peso por metro quadrado é suficiente para garantir o mínimo de isolamento térmico/sonoro de acordo com o nível de ruído da região e estudos térmicos.

Um abraço e boa semana!

 

Cristais sônicos: uma elegante tecnologia acústica

Antes de falarmos sobre os Cristais Sônicos, é importante contextualizar o ambiente que fez com que esta solução acústica tomasse corpo:

Você sabia que o ruído é responsável pelo estresse, problemas de sono, poluição sonora, incômodo e outros problemas de saúde graves? E se te dissesse que mais de 210 milhões de pessoas na Europa estão expostas a níveis de ruído rodoviário perigosos? E que tal 50.000 pessoas mortas por ataques cardíacos associados ao ruído, podendo este número chegar a 200.000 pessoas segundo uma pesquisa holandesa? Estão estimados custos de 42 bilhões de euros anuais na Europa por conta da poluição sonora.

Então como reverter isso para viver tranquilamente?

Estudos atualmente apontam para a solução utilizando cristais sônicos que são cilindros dispostos a distâncias diferentes um em relação ao outro, criando uma barreira acústica com vista livre no meio mas que permite atenuar as frequências mais incômodas do ruído gerado. Os fenômenos de difração e reflexão são combinados em algoritmos que fazem a distribuição destes cilindros em um espaço físico que oferece uma vantagem imensa em relação às barreiras acústicas tradicionais. No método tradicional há reflexão de um lado e de outro da rodovia através de barreiras pesadas e altas, o que gera altos níveis de ruído dentro da rodovia e impedem a passagem de qualquer pessoa, animal ou mesmo ar pela barreira. Isso degenera a paisagem da região e os fluxos de ar não permitem resfriamento da rodovia. São soluções complexas de se projetar mas que oferecem vantagens notórias. O fato é que, para se utilizar largamente os cristais sônicos, muito estudo a respeito de difração em cilindros e algoritmos de otimização são necessários para atingir uma maturidade ao utilizar tal tipo de tecnologia.

Quem projeta esse tipo de solução necessita de conhecimentos avançados de difração, processamento de sinais para avaliar o comportamento físico destes cristais em laboratório e também precisa ter boas noções de engenharia ambiental. Quem sabe profissionais ligados à engenharia civil tenham bom diferencial ao se tratar de projeto de rodovias que podem receber tais soluções. Ademais, o engenheiro acústico é o profissional ideal para resolver tal questão.

Innovation & Research FOCUS, edição 92
Baseado na Fonte: http://bit.ly/29jKnlZ

 

asc_cta_blog_eb04_01

__________________________

> Este conteúdo lhe foi útil? Comente e colabore com o Portal Acústica. Sua opinião nos ajuda a melhorar.

> Que tal ter direito a uma conversa de 30min com nosso especialista em acústica? Você pode tirar suas dúvidas e obter informações precisas para sua necessidades. É só responder nossa Pesquisa Portal Acústica clicando aqui.