RafaelGerges

Curso de ruído em perícias de insalubridade

O consagrado professor e empreendedor Samir Gerges, considerado por alguns o papa da acústica no Brasil, vem a oferecer o curso intitulado: Ruído em perícias de insalubridade.

É um curso presencial ministrado nos dias 21 e 22 de Julho de 2017 com duração de 12 horas-aula. O curso será também ministrado pelo MEng. Rafael Gerges, mestre em acústica e vibrações. Ocorrerá na cidade de Florianópolis, SC, em parceria com a ACEST e é uma ação do LAEPI (Laboratório de Equipamentos de Proteção Individual), que é acreditado pela CGCRE do INMETRO para realizar ensaios em protetores auditivos. O professor Samir é PhD em acústica e tem mais de 30 anos de experiência em diversos projetos para a indústria, comércio, construção civil, bares, restaurantes, call centers, e outros.

Esse tema, perícias de insalubridade é muito crítico na indústria onde os trabalhadores podem estar expostos a ruídos por tempo elevado. Existem métodos de avaliar o tempo de exposição ao ruído no ambiente de trabalho que incluem o uso de equipamentos chamados dosímetros. Os dosímetros medem a energia sonora por períodos de tempo que compreendem toda a jornada de trabalho de um operário, mesmo nos períodos de descanso, ou troca de atividade. De acordo com a sua exposição ao ruído, devem ser providenciados adicionais de insalubridade e equipamentos de proteção individual, no caso acústico os protetores auditivos. As perícias de insalubridade relacionadas à acústica são realizadas por engenheiros de segurança do trabalho e engenheiros mecânicos ou acústicos habilitados a tal.

Atualmente a legislação que trata do assunto é a NR15 que é uma norma regulamentadora que dispõe sobre ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES.  Nela encontra-se por exemplo o anexo 1 que trata do tempo de exposição ao ruído, extraída e colocada aqui abaixo.

LIMITES DE TOLERÂNCIA PARA RUÍDO CONTÍNUO OU INTERMITENTE

NÍVEL DE RUÍDO

DB (A)

MÁXIMA EXPOSIÇÃO DIÁRIA
PERMISSÍVEL
85 8 horas
86 7 horas
87 6 horas
88 5 horas
89 4 horas e 30 minutos
90 4 horas
91 3 horas e 30 minutos
92 3 horas
93 2 horas e 40 minutos
94 2 horas e 15 minutos
95 2 horas
96 1 hora e 45 minutos
98 1 hora e 15 minutos
100 1 hora
102 45 minutos
104 35 minutos
105 30 minutos
106 25 minutos
108 20 minutos
110 15 minutos
112 10 minutos
114 8 minutos
115 7 minutos

Veja que cada nível de pressão sonora equivale a um tempo máximo de exposição àquele ruído. A cada 5dBA a mais de ruído, o trabalhador tem um tempo máximo de permanência reduzido pela metade. O que quer dizer que se tivermos um ruído médio de 115 dBA na indústria, o tempo máximo permitido do trabalhador sem uso de qualquer proteção individual é de somente 7 minutos. Após esse tempo de exposição, o trabalhador está sujeito a perda auditiva permanente! O que significa que a insalubridade é muito séria e pode transformar a vida de uma pessoa para sempre.

Inscrições e mais informações podem ser obtidas através do e-mail contato@acest.org.br

Visite o site do LAEPI para mais informações sobre o laboratório em www.laepi.com.br

Gostou do assunto? Que tal saber mais sobre Ruído na Indústria através do nosso Guia do Controle de Ruído Industrial, que é um e-book gratuito elaborado pelo Eng. Marco Aurélio de Paula e Pablo Serrano para o Portal Acústica.

Guia do Controle de Ruído Industrial

About the author: Pablo Serrano

Engenheiro Mecânico mestre em Acústica e Vibrações pela UFSC com experiência em materiais de tratamento acústico, gerenciamento de projetos, acompanhamento de obras, medições, projetos, especificação de materiais e negociação. Atualmente cursando o doutorado no Institute of Sound and Vibration Research (ISVR) na Universidade de Southampton, Reino Unido. Entretanto, está disponível para atuar em consultorias e projetos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.