Materiais acústicos: o mercado e o desempenho acústico

Como aliar conforto ao usar materiais acústicos de alto desempenho?

O conforto acústico em ambientes de trabalho é fundamental para a saúde, qualidade de vida e produtividade dos funcionários de uma empresa. Geralmente, tais ambientes são comprometidos pela grande exposição de ruídos diversos que, se não tratados na própria fonte ou no caminho de propagação sonora (paredes, teto, vidros, portas, etc.), podem tornar o ambiente acusticamente desconfortável e/ou desagradável.

Da mesma forma, a qualidade acústica é fundamental em diversos ambientes com grande concentração de pessoas. Praças de alimentação, shoppings, hotéis e, principalmente, ambientes de saúde, como hospitais e clínicas médicas, que prezam pelo bem-estar e a recuperação dos pacientes, devem considerar soluções de acústica associadas aos sistemas construtivos, máquinas e materiais de revestimento.

Também bastante recorrentes são os problemas da qualidade acústica em edifícios residenciais. As reclamações mais frequentes dos moradores são, geralmente, os barulhos do apartamento vizinho, além dos ruídos de instalações e equipamentos da própria edificação e o ruído externo em áreas urbanas próximas a vias de tráfego movimentadas, aeroportos, indústrias, etc.

A escolha das soluções construtivas e materiais de revestimento, bem como a correta execução de tais materiais e sistemas, tem um papel fundamental na definição da qualidade e conforto acústico dos espaços. Existe cada vez mais o interesse, por parte dos profissionais atuantes no segmento da construção civil e dos consumidores finais, em alternativas para garantia do conforto acústico de ambientes de diversos usos. Paralelamente, existe uma crescente oferta de soluções acústicas (materiais, produtos e sistemas) inovadores no mercado, viabilizando as soluções projetuais de tratamento acústico. Vamos mostrar, nos próximos parágrafos, os parâmetros acústicos associados aos materiais e sistemas disponíveis no mercado, e auxiliar no entendimento do grau de desempenho (baixo, médio, alto) de cada material e sistema apresentado.

Quais são os materiais de desempenho acústico disponíveis no mercado?

Ao investirmos em materiais e sistemas com bom desempenho acústico, nosso principal objetivo é tornar o ambiente acusticamente agradável e confortável, ou seja, onde se pode desempenhar a atividade desejada (habitar, trabalhar, divertir-se), sem qualquer influência incômoda do ruído externo ou do próprio ambiente.

O tratamento acústico pode ser obtido a partir de soluções de isolamento e condicionamento, dependendo do tipo do ruído a ser tratado. Da mesma forma, os materiais e sistemas acústicos disponíveis no mercado têm a função de atender aos requisitos de isolamento e/ou condicionamento. A diferença entre os dois é a seguinte:

O isolamento acústico tem por objetivo a atenuação da transmissão do ruído aéreo e via estrutura entre ambientes contíguos. Da mesma maneira, também resguarda o ambiente da entrada de ruídos externos. Os materiais de isolamento acústico são, geralmente, materiais de grande massa/inércia, como alvenarias especiais, sistemas especiais de piso, paredes em Drywall, sistemas mistos de alvenaria e Drywall, lajes, portas, esquadrias acústicas, além de sistemas antivibratórios como molas e amortecedores.

Já o condicionamento acústico tem por objetivo controlar a reverberação no interior dos ambientes, de acordo com a geometria e finalidade de uso do ambiente, além de adequar o ambiente conforme parâmetros objetivos como a inteligibilidade da fala (STI), a redução do nível de ruído interno, clareza e audibilidade. Neste caso, é fundamental o equilíbrio de superfícies refletoras e absorvedoras a partir da utilização de materiais adequados nas superfícies de piso, paredes e teto. São diversas as opções de materiais de revestimento com propriedades acústicas certificadas.

O que define o desempenho acústico dos materiais?

Vamos começar pelo desempenho acústico para isolamento. As esquadrias, por exemplo, são componentes construtivos complexos compostos de perfis, vidros, ferragens, guarnições, fitas vedadoras, dentre outros elementos de fixação e acabamento. A determinação do seu desempenho de isolamento acústico é realizada pelo valor do índice de redução sonora ponderado – Rw. Quanto maior o Rw, melhor a estanqueidade sonora do sistema por frequência e, portanto, melhor o desempenho acústico. O uso adequado das esquadrias protege os ambientes internos do ruído externo indesejado. Mas esta solução deve ser avaliada em conjunto com o desempenho acústico total do sistema construtivo da fachada, geralmente paredes em alvenaria.

As alvenarias e paredes em Drywall que compõem as divisórias externas e internas das edificações também favorecem o conforto acústico dos ambientes internos ao isolar a transmissão do ruído aéreo e via estrutura. Assim como as esquadrias, o desempenho acústico de divisórias é avaliado pelo valor de RW. A tabela a seguir mostra alguns valores de RW, em dBA, para sistemas de parede diversos.

Fonte: Desempenho acústico de esquadrias e NBR 15.575 – 2016 Kawneer Company, Inc. / Manual CBIC

 

 

Em lajes o sistemas de isolamento acústico, avaliado também pelo valor de RW, tem papel imprescindível no conforto acústico de ambientes internos a edificações ao resguardar os ambientes da transmissão sonora aérea e via estrutura. Para evitar a transmissão do ruído pela estrutura da edificação, ou seja, a transmissão por flancos, são utilizados sistemas de piso flutuantes, mantas acústicas sob/sobre contrapiso, e outros. Forros suspensos em gesso acartonado, devidamente isolados a partir de amortecedores de vibrações e com preenchimento em lã mineral, também têm desempenho comprovado na redução da transmissão sonora entre pavimentos contíguos.

O desempenho para condicionamento acústico, ao invés de isolar ruídos externo, garante a melhor qualidade do som através dos materiais absorventes, aumentando a inteligibilidade sonora. A absorção controla ruído e reverberação em ambientes internos, que quando distribuída de forma correta pelo ambiente interno pode eliminar boa parte do som refletido pelas superfícies, promovendo condições confortáveis de comunicação. Existem diversos materiais absorventes, normalmente são porosos ou fibrosos e flexíveis, como lã de rocha, lã de pet, espumas acústicas, mas também podem ser painéis perfurados e ressonadores. Cada material possui um coeficiente de absorção (alfa) diferente, que depende do tipo de material, da sua densidade e estrutura, assim como a frequência e incidência do som incidente na superfície do material. A seguir o gráfico e a tabela apresentam o coeficiente de absorção de lã de rocha 10mm, em bandas de oitava:

Segundo o gráfico, a lã de rocha é um ótimo material absorvente para médias e altas frequências, ou seja, ruídos médios e agudos. Esses dados são fornecidos pelas empresas que fabricam materiais acústicos, já projetados com diversos modelos, espessuras e acabamentos, basta o profissional da área fazer a melhor escolha para determinado ambiente.

Mais detalhes sobre o procedimento de obtenção do coeficiente de absorção veja esse video:

 

Os materiais de revestimento com propriedades acústicas de absorção são instalados como forros e painéis de parede, apesar de pisos também terem propriedades de absorção sonora. O desempenho acústico destes materiais é verificado pelas propriedades que devem ser comprovadas a partir de relatórios de ensaio e laudos. Nos laudos, geralmente constam os valores dos coeficientes de absorção do material em bandas de oitava ou terço de oitava.

Conclusão

A definição dos materiais de revestimento a serem utilizados em recintos fechados deve ser realizada a partir de medições e cálculos específicos de acústica, onde são definidos, dentre outros parâmetros, o tempo de reverberação ideal (T60) conforme a finalidade de uso da sala (restaurantes, cinemas, escritórios, auditórios, etc.). Além da finalidade de uso, a reverberação ideal de uma sala depende do volume do ambiente, e pode ser verificado de acordo com a Norma NBR 12.179 – Tratamento acústico em recintos fechados – Procedimento.

Em termos de isolamento sonoro, poucos fornecedores brasileiros contam com uma biblioteca atualizada e completa com diversos sistemas construtivos e seus respectivos isolamentos sonoros em termos do Rw, que é o valor ponderado, ou ainda em bandas de oitava ou terço de oitava.

Ao compreender as variáveis envolvidas no estudo da acústica, nota-se que o conforto acústico de ambientes é fortemente dependente das propriedades específicas de cada material de revestimento e do sistema construtivo adotado, revelando a importância do diagnóstico, caso-a-caso, feito por um consultor especializado.

Autor: Bruna Croce

 

Participe do  Webinar sobre as 6 fases do Projeto Acústico – clique na imagem abaixo e inscreva-se

 


Conheça AGORA nosso Curso de Acústica Sustentável

2 respostas
  1. Patricia Cicarelli
    Patricia Cicarelli says:

    Caros, não encontro nenhuma informação sobre tratamento acústico residencial, especificamente para apartamentos. Poderiam me enviar informações de soluções para apartamentos?
    Grata

    Patrícia

    Responder
    • portalacustica
      portalacustica says:

      Olá Patrícia, vamos elaborar um material menos técnico para atender a essa demanda sua. Enquanto isso, nos informe se você é profissional da área ou está somente querendo resolver algum problema que você está vivendo no momento.
      Quem sabe assim podemos ajudar de uma melhor maneira.
      De uma forma geral as soluções para apartamentos devem ser implementadas em período de projeto, onde elas se tornam mais baratas e a construtora pode oferecer um produto de melhor qualidade aos usuários. Depois da obra pronta, realmente a coisa é mais complicada.
      Abraços

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resolva a equação para comentar *