Acústica para restaurantes: um mercado em constante expansão

O sucesso de um restaurante está associado a diversos fatores, desde a identificação prévia da oportunidade do negócio, a questões financeiras como o balanço entre faturamento com relação ao investimento e ao custo operacional, até a qualificação e quantificação da clientela que, por sua vez, é altamente dependente do grau de atratividade do local.

A atratividade de um restaurante pode estar relacionada não apenas à qualidade da comida, como às questões operacionais do restaurante, serviços de atendimento e, não menos importante, a identidade visual e o projeto de arquitetura e interiores. Espaços bem projetados, visualmente agradáveis e com considerações ao conforto luminoso, térmico e acústico, influenciam na sensação de acolhimento e bem-estar dos clientes.

Fonte: http://www.contemporist.com/hexagonally-shaped-ceiling-coffers-help-dampen-sound-in-this-restaurant/

Quando procuramos um novo restaurante, buscamos, além da qualidade e variedade do cardápio, ambientes confortáveis; buscamos uma experiência agradável em todos os sentidos. Estabelecimentos cheios significam, para muitos, a promessa de uma boa comida. A escolha de uma mesa significa, para outros, a garantia de uma boa experiência. Há quem se incomode com os lugares próximos às saídas de ar condicionado e sanitários. Há quem exija cadeiras mais confortáveis, ou locais com iluminação equilibrada.

A acústica de restaurantes é um quesito importante na definição da atratividade de um restaurante. O incômodo aos níveis altos de ruído ou a falta de privacidade devido ao ruído residual muito baixo, ou absorção excessiva, é um problema frequente. Por isso, a contratação de consultores acústicos torna-se imprescindível.

Fonte: http://www.unisinos.br/fique-sabendo/escola-politecnica/engenharia-civil/acustica-de-edificacoes-e-tema-de-curso-de-extensao/

 

Quando chamar um consultor acústico em projetos de restaurantes?

No projeto de restaurantes, o ideal é que desde a concepção sejam levados em consideração e compatibilizados os produtos e materiais de diversas disciplinas: térmica, luminosa, incêndio, hidráulica, acústica e sonorização.

No entanto, consultores acústicos geralmente são chamados para atuar após a execução da obra de arquitetura, quando as soluções são bem mais difíceis de serem implementadas. Além disso, remediações são sempre mais onerosas. É sempre ideal que a acústica seja incorporada na concepção do projeto de arquitetura visando, sobretudo, a otimização de custos e para evitar a paralização das atividades em obras futuras. Proprietários de restaurantes devem considerar a qualidade acústica como um investimento a longo prazo, que pode aumentar a atratividade do espaço e, consequentemente, a atratividade e faturamento do empreendimento.

Vamos, então, entender quais são as principais causas do incômodo ao ruído em restaurantes e avaliar como a qualidade acústica pode ser incorporada no projeto.

Principais causas de ruído em restaurantes

O ruído em excesso em restaurantes pode ocorrer devido a inúmeras causas: superfícies rígidas com baixos coeficientes de absorção (Drywall, alvenarias, mobiliário, vidros), cozinhas integradas com o salão do restaurante (por princípios estéticos ou pela facilidade operacional dos serviços), música ao vivo, instalação inadequada de sistemas de sonorização, lotação, mesas muito próximas umas das outras, conversação e outros ruídos como movimentação de mobiliário e equipamentos.

 

A acústica de um restaurante pode ser tratada a partir do isolamento ao ruído aéreo e estrutural entre ambientes, do ruído e vibrações de máquinas e equipamentos, instalações hidráulicas, e a partir do equilíbrio das superfícies de reflexão e absorção. Neste caso, deve haver um cuidado para que o ambiente não apresente um comportamento exageradamente absorvente, podendo gerar desconforto ao cliente. E como saber quais critérios e recomendações atender para a análise acústica de um restaurante?

Normativa brasileira – as recomendações para a acústica de restaurantes

A norma NBR ABNT 10.152 (2017) recomenda valores de nível sonoro para ambientes internos a edificações em função da finalidade de seu uso. No caso de restaurantes, os níveis internos recomendados variam entre 45 dB(A), valor representativo da condição de conforto, e 50 dB(A), limite do nível sonoro nos momentos com o ambiente vazio, para fins de estabelecer uma referência.

Além dos níveis internos em dB(A) recomendados, o tempo de reverberação é um parâmetro importante na definição dos sistemas e materiais de revestimento, afetando o conforto e a inteligibilidade da fala. Não temos conhecimento para o caso específico de restaurantes, uma recomendação relativa ao tempo de reverberação ideal, havendo apenas recomendações, como citado por Astolfi e Filipi [1], que referenciam ao Programa de Pesquisa “Áreas silenciosas em restaurantes”, realizado pelo Conselho Americano de Conformidade Arquitetônica. Este documento indica o tempo de reverberação adequada para restaurantes variando entre 0,5 e 0,6 segundos, para frequências entre 500 Hz e 2.000 Hz para o ambiente vazio e com níveis de ruído de fundo menores ou iguais a 60 dB(A), com a presença dos usuários.

Com base nestes critérios básicos, o projeto acústico pode ser elaborado. A etapa de dimensionamento de soluções acústicas deve ser pensada considerando as restrições técnicas do projeto de arquitetura ou dos projetos complementares. Quais os critérios que devem ser pensados e respeitados na definição dos sistemas de materiais acústicos de um restaurante?

As demandas precisam ser estudadas previamente à definição das soluções

Riscos de incêndio

Em restaurantes, bares e cozinhas industriais, o risco de incêndio é muito alto, devido às diversas fontes de calor (fornos, fogões, grelhas, fritadeiras), aliadas a presença de elementos combustíveis como óleos, gordura e gases. Por esta razão é imprescindível a indicação de materiais que aliem o conforto acústico a soluções não inflamáveis.

Existem, no mercado, materiais auto extinguíveis, com aditivos retardantes à chama que melhoram a performance e resistência ao fogo. E, mais além, existem materiais feitos de espuma micro-celular à base de melanina que, em contato com o fogo, apenas emitem baixos índices de fumaça.

Ao escolher os materiais acústicos, deve-se solicitar junto ao fabricante laudo que comprove a resistência do produto ao fogo. Existem diversos materiais acústicos que proporcionam esta segurança, fabricados conforme normas técnicas específicas.

Design e estética

O projeto de arquitetura e interiores de restaurantes normalmente tem a intenção de ressaltar a identidade do negócio, para despertar o desejo de consumo dos clientes. É possível conciliar materiais acústicos de forma harmoniosa com a estética pretendida para o local.

Fabricantes de produtos acústicos tentam acompanhar as tendências estéticas de ambientes comerciais com produtos estilizados, a partir de tecnologias avançadas. Atualmente, existem materiais acústicos que são decorativos, podendo ser aplicados em forros e paredes, integrando o projeto de arquitetura.

Fonte: http://dagdraw.com/editor/

A depender do projeto, os dispositivos acústicos podem ser aplicados de forma aparente ou mesmo incorporados na arquitetura, ficando “escondidos”, e associados à geometria do local. O mobiliário também tem influência no conforto acústico de restaurantes. Cadeiras estofadas, por exemplo, têm um maior coeficiente de absorção quando comparadas com cadeiras lisas de plástico ou madeira.

Além das questões de design e estética do restaurante, o projeto acústico também pode aliar-se ao projeto de iluminação de forma criativa e harmoniosa. Existem atualmente no mercado diversas opções de forros com propriedades acústicas que podem ser associados a luminárias de diversos tipos, com propostas visualmente interessantes. As nuvens acústicas, por exemplo, fixadas no forro de gesso ou em lajes, podem ser utilizadas em associação a luminárias pendentes tubulares ou redondas, de forma criativa e interessante.

Fonte: https://apn-acoustic.com/en/ceiling-solutions/acoustic-baffle-apn-industriebaffel/

 

Manutenção e limpeza

Outro aspecto importante para a definição dos materiais acústicos é a sua facilidade de manutenção e limpeza. Existem materiais de forro e paredes que aliam o desempenho acústico a esta facilidade, essenciais em ambientes como cozinhas de restaurantes. Alguns forros de fibra mineral, por exemplo, são altamente absorventes e resistentes a ambientes com umidade extrema. Tais forros podem ser lavados com detergente neutro e água pressurizada, sendo comumente utilizados em ambientes hospitalares, indústrias, salas limpas, cozinhas, banheiros e piscinas cobertas. Para maior durabilidade do sistema, podem ainda ser utilizados perfis especiais com elevada resistência à corrosão.

 

Estas são apenas algumas das muitas questões geralmente levantadas na definição do projeto acústico de restaurantes. Conte-nos mais sobre sua experiência, para iniciarmos um debate sobre o assunto!

 

[1] ASTOLFI, A; FILIPPI, M: Good Acoustical Quality in Restaurants: a Compromise Between Speech Intelligibility and Privacy. 18º Congresso Internacional de Acústica, Kyoto, Japão, 2004, Anais… Kyoto, ICA 2004.

 

Autora: Bruna Croce

Inscreva-se agora para a live de acústica em igrejas
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resolva a equação para comentar *